Educação

Ato combativo de professores marcha até o MASP: organizar a luta já!

30 Jan 2015   |   comentários

"Aos cantos de “greve efetiva com mobilização, é só pela base que se muda a educação†e “Ei, Bebel, sai do caminhão e vem construir a nossa greve aqui no chão†, os professores mostraram que não mais vão tolerar os ataques do governo à educação, e muito menos as traições da direção majoritária da Apeoesp."

A princípio era para ser um ato de professores da rede estadual de ensino. Porém a direção da APEOESP (PT/PCdoB) se negou a organizar seriamente os professores para lutar em um ano onde mais se sente os ataques a educação pública. Quase 2 mil salas fechadas em todo o estado, demissão de quase um quarto da categoria, professores subempregados e salas com quase 60 alunos. A atual presidenta petista da APEOESP, Bebel, espera que todos os professores desempregados e em condições insustentáveis de trabalho esperem até o dia 13 de março para começar sua mobilização. Uma burocracia encastelada incapaz de responder a esse ataque brutal proferido por Geraldo Alckmin e o PSDB.

No começo do dia, na reunião do Conselho Estadual de Representantes, vimos a direção majoritária da Apeoesp mostrando como se posterga uma luta para que não saia de seu controle. Frente aos absurdos citados acima, a diretora da Apeoesp, Bebel e seus apoiadores, aprovam uma assembleia da categoria somente para o dia 13 de março. Frente aos questionamentos dos professores, respondeu que quem manda é ela, ela é a autoridade.

Mas hoje a burocracia sindical se deparou com professores que não estavam dispostos a ficarem calados. Aos cantos de “greve efetiva com mobilização, é só pela base que se muda a educação†e “Ei, Bebel, sai do caminhão e vem construir a nossa greve aqui no chão†, os professores mostraram que não mais vão tolerar os ataques do governo àeducação, e muito menos as traições da direção majoritária da Apeoesp.

Ao se depararem com o encerramento em menos de uma hora do ato, diversos
professores se reuniram, incluindo o Professores pela Base, e decidimos que continuaríamos o ato subindo a Rua da Consolação e nos encontrando com os jovens que realizariam o 6º ato contra o aumento da tarifa. E assim o fizemos, com cerca de 300 professores ao canto de “Ôoo, o professor chegou†, “Eu vou lutar até vencer, como fizeram os operários do ABC!†e “Chega de precarização e de descaso do governo com a educação†. Durante o trajeto o ato de professores foi amplamente saudado pela população. A entrada no MASP foi entusiasticamente recebida pela juventude que saiu às ruas em junho, e que agora retoma suas mobilizações contra o aumento da tarifa dos transportes. Um exemplo da forte aliança que pode haver entre a juventude e os trabalhadores, caminho irremediável para ampliarmos e garantirmos nossas vitórias.

É com base nessa combatividade que os professores demonstraram hoje, e na necessidade urgente de uma greve sem igual que o Professores pela Base – Movimento Nossa Classe amplifica esse chamado. Precisamos preparar imediatamente uma greve séria, construída a partir das bases, em cada escola. Torna-se cada vez mais evidente que a direção do sindicato, nas mãos da burocracia petista de Bebel há décadas, está na contramão desse caminho. Por isso, precisamos compor comandos de mobilização em cada região para vencermos, passando por cima daqueles que usurpam nosso sindicato para tentar controlar os professores

E queremos iniciar essa preparação da nossa luta em uma reunião que estamos chamando já neste sábado, 31 de janeiro às 11h. Veja aqui as informações do evento .

Venham todos! É greve pela educação e pelos nossos empregos!

Artigos relacionados: São Paulo Capital , Educação









  • Não há comentários para este artigo