Sábado 20 de Julho de 2019

Movimento Operário

SOLIDARIEDADE ATIVA AOS NOSSOS IRMÃOS DE CLASSE ESPANHÓIS!

Viva a greve geral na Espanha!

18 Sep 2010   |   comentários

Frente aos ataques do governo “socialista†de Zapatero, os trabalhadores tem que triunfar! Abaixo os planos de ajuste dos governos europeus!

As últimas décadas impuseram aos trabalhadores de todo o mundo a mão dura do capitalismo internacional. Os anos de reação burguesa significaram divisões e subdivisões (efetivos, contratados, terceirizados, legais, ilegais, homens, mulheres, brancos, negros etc) no seio das classes trabalhadoras mundiais, para além da já tradicional divisão imposta entre trabalhadores das diversas nações. Difícil remarcar na história, desde que a classe produtora se colocou como sujeito político e lutou pelo poder político da sociedade, como na Comuna de 1871, um momento em que a subjetividade da classe operária estivesse tão distante da luta pelo poder da sociedade. A derrota dos últimos processos revolucionários, os trinta anos sem qualquer revolução em qualquer rincão do mundo e a ofensiva capitalista (a reação neoliberal), agregadas da passagem dos instrumentos históricos dos trabalhadores (partidos e sindicatos) para o bando burguês desmoralizaram a classe.

A profunda crise capitalista em curso abre por um lado a necessidade, por parte dos capitalistas, de enterrar ainda mais e impor derrotas ainda mais históricas àclasse operária. E já começaram. Por outro lado abre a perspectiva objetiva para a recomposição da classe operária mundial enquanto sujeito histórico da libertação humana. Se a burguesia vem atacando incessantemente os trabalhadores em todo o mundo, como se tem visto na Grécia, na França, Espanha etc., também os trabalhadores vem dando suas respostas como podemos ver nas greves gerais que se espalham pela Europa. É preciso que a classe trabalhadora se recomponha e se levante como um punho só contra os capitalistas, para que estes paguem pela crise que criaram e que deixem de vez o mando da sociedade.

Diversas centrais sindicais convocam uma importante greve geral para o 29 de setembro na Espanha, contra os ataques do governo “socialista†de Zapatero. No bojo das recorrentes greves gerais em outros países na Europa, diversas centrais sindicais do continente aderem ao chamado espanhol para um dia unificado de greve geral (Grécia, Itália, França etc.). Frente aos generalizados ataques patronais e dos governos é preciso que os trabalhadores triunfem!

Assim, nós da LER-QI, também o grupo de mulheres Pão e Rosas e a juventude do movimento A Plenos Pulmões, junto àANEL-SP convocamos os trabalhadores, as mulheres estudantes e trabalhadoras, a juventude, todos estes que tem sede do futuro, a se solidarizarem com nossos irmãos de classe espanhóis e europeus. Devemos resgatar com todas as forças o mais profundo da tradição internacionalista dos trabalhadores, em uma solidariedade de classe ativa e real. A classe operária é internacional e uma só. Só com a recomposição desta tradição a classe operária poderá dar uma resposta independente àcrise capitalista que assola e se prepara para aprofundar a crise social no mundo. É preciso preparar e recompor as forças operárias e da juventude e armar, desde já, o combate permanente contra o capital. Para isso cada luta deve se transformar em uma batalha de classe. A solidariedade ativa aos trabalhadores de qualquer parte do mundo, as lutas e batalhas dadas desde os métodos históricos da classe operária com o afinco de transformá-las em enfrentamentos com os governos e os patrões, desde uma política independente, são os primeiros e centrais passos para a recomposição subjetiva dos trabalhadores.
Preparemo-nos para desatar o futuro!

Tod@s ao ato em solidariedade àgreve geral na Espanha no dia 29 de setembro. Em frente ao Consulado Espanhol, Av. Brasil, 948, São Paulo

Artigos relacionados: Movimento Operário , Internacional









  • Não há comentários para este artigo