Nacional

AUMENTO DA TARIFA EM BELO HORIZONTE É SUSPENSO POR LIMINAR DO STJ-MG

Unidos a juventude e os trabalhadores podem barrar o aumento da tarifa!

10 Jan 2015   |   comentários

Em pelo menos três das maiores capitais brasileiras aconteceram importantes manifestações contra o aumento das passagens de ônibus, Belo Horizonte foi uma delas.

Sequer quinze dias do ano de 2015 foram passados e em pelo menos três das maiores capitais brasileiras aconteceram importantes manifestações contra o aumento das passagens de ônibus, Belo Horizonte foi uma delas. Não poderia ser diferente, já que fica cada vez mais claro que todos os governos e partidos que se aliam e servem aos ricos - seja o PSDB, o PT, o PMDB... - não tem interesse em abrir mão dos privilégios econômicos e políticos que oferece este estado e este regime de corrupção e ataques aos trabalhadores e ao povo pobre.

Fotos da manifestação:


Por isso, o espírito das grandes manifestações de junho de 2013 e suas lições ainda vivem, hoje ainda mais enriquecidos pela onda de greves e o papel destacado de luta que vem cumprindo o despertar da classe trabalhadora brasileira. Em BH e região metropolitana isso fica claro pelas aguerridas manifestações espontâneas de moradores da região metropolitana. Assim como também fica clara a tentativa de freiar a mobilização feita pelo Tribunal de Justiça de MG que, temendo as manifestações, soltou uma liminar revertendo temporariamente o aumento da tarifa nas linhas suplementares, que atendem a cidade de Belo Horizonte, mantendo o aumento no restante das cidades da região metropolitana, como Contagem.

É possível barrar o aumento!

Já a manifestação organizada pelo Movimento Tarifa Zero BH, convocada para a Praça Sete no dia 09 de janeiro, reuniu cerca de 1.000 pessoas e contou com a presença de muitas organizações de esquerda e da juventude. Esta manifestação mostrou que, mesmo durante o recesso de aulas escolares (que acaba permitindo a maior participação dos alunos secundaristas) e universitárias, há disposição de luta para barrar este aumento e transformar esta em uma grande luta por transporte digno e de qualidade para todos e em toda a região metropolitana de Belo Horizonte.

Para que esta disposição da juventude se transforme em um vitória real é preciso levar agora a demanda da unificação da luta com os trabalhadores que vem se manifestando para barrar o aumento e por transporte público gratuito e de qualidade, para que não sejam os trabalhadores e a juventude os que com suas próprias vidas e trabalho paguem pela sede de lucro dos capitalistas do transporte e os governos que os representam.

Por isso que nós, da Juventude Às Ruas e do Movimento Nossa Classe de Contagem, estivemos presentes no ato da Praça Sete levando como bandeira a Estatização dos transportes sob controle dos trabalhadores e dos usuários do sistema de transporte público. Para unificar os trabalhadores e a juventude achamos que temos de partir do ponto de vista de que não é possível conciliar os lucros dos empresários do transporte com as necessidades dos trabalhadores e dos usuários (como defende o projeto de lei do Tarifa Zero). Somente através de um sistema de transporte único de toda a região metropolitana, totalmente público e estatizado, organizado e controlado por comitês de controle de preço e qualidade do transporte, através da aliança operário estudantil, organizados em cada bairro, escola, universidade, fábrica e local de trabalho, podemos estar realmente livres da corrupção e dos interesses dos lobby’s empresariais que ditam as regras do transporte público sob governo dos capitalistas.

Levamos também nossa total apoio e solidariedade àimportante greve dos operários da Volkswagen de São Bernardo do Campo. Uma vitória dos operários da Volks pode significar uma conquista de toda a classe trabalhadora e juventude contra as medidas de ajuste, anunciadas pelo governo Dilma já no início de 2015, e para que sejam os capitalistas que paguem pelas crises que eles próprios criam.







Artigos relacionados: Nacional , Juventude , Belo Horizonte









  • Não há comentários para este artigo