Internacional

CONFLITO NA AUTOPARTISTA GESTAMP NA ARGENTINA

Trabalhadores demitidos de Gestamp paralisam toda a fábrica. Todo apoio para que triunfem!

29 May 2014   |   comentários

Na manhã de hoje, terça-feira, 27 de maio, no marco da jornada de luta contra as sessenta e nove demissões da autopartista em Escobar, um grupo de trabalhadores demitidos ingressou pacificamente na planta para exigir sua reincorporação.

Na manhã de hoje, terça-feira, 27 de maio, no marco da jornada de luta contra as sessenta e nove demissões da autopartista em Escobar, um grupo de trabalhadores demitidos ingressou pacificamente na planta para exigir sua reincorporação. Do lado de fora da autopartista, uma multinacional de origem espanhola, se realizava um ato de solidariedade de distintas comissões internas, sindicatos e agrupações operárias, em conformidade com a resolução do Encontro Sindical Combativo da Zona Norte realizado sábado, 24 de junho, junto com centros acadêmicos. Diante da ação dos trabalhadores demitidos, as organizações solidárias garantiram o bloqueio dos acessos. Tudo isso levou àparalisação da fábrica, ante a qual a patronal decidiu dar folga aos trabalhadores. Na Panamericana se colocaram batalhões da Gendarmería (espécie de tropa de choque), enquanto no interior e nos arredores de Gestamp se desatou um operativo policial que incluiu a cavalaria, infantaria, etc. Neste meio tempo se teve notícia de novas suspensões na indústria automotriz da zona norte, neste caso as anunciadas por Lear Corporation.

Gestamp, que abastece automotrizes como VW e Fort, acumulou fortunas durante estes últimos anos. Os trabalhadores, que há semanas montaram um acampamento na porta da fábrica e obtiveram solidariedade de distintos organismos de Direitos Humanos, permanecerão no interior da fábrica até obter respostas favoráveis. Se aproximou deles para levar sua solidariedade o deputado nacional do PTS na Frente de Esquerda, Nicolás del Caño, que já havia aportado a seu fundo de luta. Ante o comunicado mentiroso da empresa que justifica as demissões, legitimado pelo SMATA, os trabalhadores responderam ressaltando que se trata de demissões em massa pelo simples fato de tratar-se de trabalhadores que denunciaram que as suspensões que queria impor a empresa eram seletivas e discriminatórias.

É necessário rodear de solidariedade e apoio aos trabalhadores de Gestamp em luta. Todos para dentro!

Artigos relacionados: Internacional









  • Não há comentários para este artigo