Direitos Humanos

Todo apoio àluta por moradia dos trabalhadores da São Remo! Pela retirada imediata da PM!

23 Dec 2014   |   comentários

Neste final de semana um terreno da USP, entre o Hospital Universitário e a São Remo, foi ocupado principalmente por moradores dessa comunidade que lutam pra ter uma casa própria e fugir do caríssimo aluguel que compromete mais de 70% dos precários salários que recebem.

Neste final de semana um terreno da USP, entre o Hospital Universitário e a São Remo, foi ocupado principalmente por moradores dessa comunidade que lutam pra ter uma casa própria e fugir do caríssimo aluguel que compromete mais de 70% dos precários salários que recebem. No dia 23/12 a polícia foi garantir a reintegração de posse àpedido da USP e houve confronto. A polícia invadiu as ruas da São Remo obrigando os moradores a ficarem presos dentro de casa. Em algumas ruas, os moradores não conseguiram nem sair pra trabalhar e estão sendo revistados.

A grande maioria dos trabalhadores é obrigada a morar longe do trabalho, em regiões periféricas e de ocupação de risco enquanto empresários da construção civil e do setor imobiliário garantem seus lucros mantendo terrenos vazios nos centros urbanos para aumentar o valor dos imóveis disponíveis.

Por outro lado, a reitoria da USP mais uma vez recorre àjustiça pela posse de um terreno há anos abandonado se colocando contra os trabalhadores que lutam pelo direito elementar de ter onde morar. Grande parte dos moradores da São Remo trabalha como terceirizada na USP, nos setores de limpeza, segurança, manutenção e logística por um salário mínimo, R$724,00. A reitoria da USP também é responsável pela precarização das condições de vida e trabalho dessas pessoas e pela repressão policial.

Apoiamos a legítima luta por moradia e repudiamos toda forma de repressão policial. A polícia deve sair imediatamente da São Remo e a USP conceder o terreno para construção de moradias populares financiadas pela prefeitura. Exigimos também a construção de toda infraestrutura necessária para o bairro. Os moradores, por via de suas entidades como a Associação de Moradores e em aliança com os trabalhadores da USP, devem estar no controle desse processo para garantir que os moradores que pagam aluguel na São Remo sejam os beneficiados.

Para avançar em uma luta estratégica contra o capitalismo e pra conquistar moradia pra todos os que necessitam é preciso exigir o confisco de todos os imóveis utilizados como especulação imobiliária e plano de obras públicas sob controle dos trabalhadores e movimentos de moradia para assim garantir habitação digna para todos.

Artigos relacionados: Direitos Humanos









  • Não há comentários para este artigo