Educação

Todo apoio àgreve dos professores e trabalhadores no Paraná

10 Feb 2015   |   comentários

Os professores pararam em defesa do pagamento de benefícios atrasados, contra a extinção de gratificação por tempo de serviço, e pela reabertura de turnos escolares, fechados pelo governo do estado, também nas mãos do PSDB.

Os trabalhadores da Educação no Paraná estão em greve desde o dia 9 de janeiro. Na declarada por Dilma “pátria educadora†, a educação é a grande vítima dos cortes de orçamento. Somente no Ministério da Educação foram 7 bilhões de reais a menos, dificultando cada vez mais que as universidades federais sigam funcionando como deveriam.

No estado de São Paulo, o mais rico da Federação, governado pelo PSDB a situação não é diferente. Começamos o ano com salas de aula com mais de 50 alunos e algumas, como amplamente divulgado pelo Bom dia SP e Bom dia Brasil com mais de 90 alunos. Além da superlotação enfrentamos o corte de verbas para itens básicos, tais como papel higiênico e sabonete sem falar na falta de água que assola o conjunto da região sudeste.

No estado do Paraná, onde os professores e trabalhadores da Educação estão em greve, a situação não é diferente. As reivindicações são muito parecidas com as nossas. Os professores pararam em defesa do pagamento de benefícios atrasados, contra a extinção de gratificação por tempo de serviço, e pela reabertura de turnos escolares, fechados pelo governo do estado, também nas mãos do PSDB. Milhares de professores estão realizando atos, para defender essas reivindicações, contra os ataques do governo. Houve até uma professora que se acorrentou nos portões de um colégio, numa tentativa de chamar a atenção para as justas demandas que estão defendendo.

Por isso, a greve dos professores e trabalhadores da Educação no estado do Paraná deve ser apoiada. É preciso que se exija da direção majoritária da Apeoesp, e também das correntes de oposição que unifiquem a luta em defesa da educação, contra o corte de verbas e por salários.

Infelizmente a direção da Apeoesp se recusa a organizar para valer a mobilização, marcando para o longínquo  dia 13 de março uma assembleia para quem sabe iniciar a greve. O Professores Pela Base- Movimento Nossa Classe- está impulsionando duas atividades, a primeira ainda essa semana dia 12 de fevereiro a segunda dia 24 de fevereiro, como parte da organização de nossa greve, a partir de agora essas atividades também passam ser pela vitória da greve da educação do estado do Paraná.

Todo apoio a luta em defesa de uma educação pública, gratuita, laica e de qualidade! Verbas já para educação geridas por professores, pais e alunos! Unidade nacional contra os inimigos da Educação!

Artigos relacionados: Educação









  • Não há comentários para este artigo