Internacional

MÉXICO: UM GRANDE TRIUNFO

Surge uma nova alternativa operária e socialista no México

25 May 2014   |   comentários

Esta quarta-feira, 21 de maio, o Conselho Geral do Instituto Nacional Eleitoral (INE) aprovou por unanimidade a solicitação do Movimento dos Trabalhadores Socialistas (MTS), organização irmã da LER-QI no México, para obter seu registro como Agrupação Política Nacional (APN).

Esta quarta-feira, 21 de maio, o Conselho Geral do Instituto Nacional Eleitoral (INE) aprovou por unanimidade a solicitação do Movimento dos Trabalhadores Socialistas (MTS), organização irmã da LER-QI no México, para obter seu registro como Agrupação Política Nacional (APN). A obtenção da legalidade é produto de uma intensa campanha militante, que a anterior Liga de Trabalhadores pelo Socialismo, junto a trabalhadores, estudantes, jovens, mulheres e ativistas da diversidade sexual, impulsionamos nas ruas, nas praças públicas, nas escolas, nas zonas fabris, nos centros de trabalho, e que hoje confluímos nesta nova alternativa da esquerda socialista e revolucionária, o Movimento dos Trabalhadores Socialistas. Durante toda nossa campanha para obter registro como APN, insistimos e demos ênfase na antidemocrática e restritiva legislação existente, que impede que os trabalhadores tenhamos uma representação política própria. Por isso apoiamos o direito das organizações de trabalhadores e da esquerda (como a Organização Política do Povo e dos Trabalhadores – OPT – que impulsiona o Sindicato Mexicano de Eletricistas) para que possam obter direitos plenos.

Recebemos o apoio e a solidariedade de diversas personalidades da cultura, dos direitos humanos e intelectuais que fizeram pública sua exigência ao INE para resolver positivamente nossa solicitação de registro. Dentre as personalidades que nos apoiaram estão o escritor Paco Ignacio Taibo II, a lutadora social Norma Andrade, o periodista Carlos Fazio, o lutador social Alejandro Solalinde, o ativista sindical José Luis Hernández Ayala, pelo Conselho Político Nacional da OPT Héctor Valadez, o ativista contra a lei Telecom Jesús Robles Maloof, e mais de 8 mil assinaturas.

Com esta intensa atividade militante, nossa intervenção nas lutas mais destacadas da juventude e dos trabalhadores e a conquista da legalidade, surgiu uma nova organização revolucionária no México. Uma alternativa dos trabalhadores, jovens, estudantes, das mulheres, que reivindicamos uma organização política própria, independente dos partidos a serviço dos patrões como o PRI, o PAN e o PRD, que aprovaram todas as reformas estruturais (energética, educativa, trabalhista) e àesquerda de projetos políticos como o MORENA de López Obrador que, ainda que questionem alguns dos aspectos mais antidemocráticos do regime, não se colocam uma perspectiva independente, anticapitalista e revolucionária para acabar com a exploração, a opressão e a repressão do regime.

Nosso registro como APN estará a serviço do triunfo e desenvolvimento das lutas operárias e juvenis mais importantes do país. E ao mesmo tempo, a serviço de colocar o trotskismo na ofensiva no México e uma alternativa anticapitalista, socialista e revolucionária para todos os explorados, oprimidos e agravados por este regime repressor e miserável. Temos grandes desafios diante de nós. O Movimento dos Trabalhadores Socialistas tem o grande desafio de expandir sua influência ao vasto território nacional, de Chiapas a Sonora. Contamos já nesse caminho com a adesão de núcleos de companheiros em Sinaloa, Chihuahua, Oaxaca e Guerrero, mas queremos chegar cada vez mais longe. Armados com uma nova publicação periódica, a “Tribuna Socialista†, novos meios eletrônicos e novas ferramentas de teoria e política marxista, nosso horizonte é que a conquista da legalidade seja uma alavanca para fortalecer-nos no movimento operário e na juventude. Trata-se de colocar de pé uma organização socialista a nível nacional que, ademais de intervir com uma política revolucionária frente àrealidade nacional e internacional, lutando apaixonadamente por defender todos e cada um dos direitos democráticos das massas, que ponha todo o seu empenho para forjar dentro do movimento operário mexicano organizado nos serviços, na indústria, na construção e no trabalho precário uma alternativa socialista, que lute por lançar abaixo a exploração do homem pelo homem e a sociedade de classes. Com as bandeiras de Leon Trotsky, Lênin, Rosa Luxemburgo e todos os marxistas revolucionários que formam parte de nosso legado, nosso desafio é que o socialismo volte a tornar-se força material em setores bem amplos da vanguarda operária e juvenil no México.

Artigos relacionados: Internacional









  • Não há comentários para este artigo