Juventude

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

Revogação imediata da eliminação dos 6 estudantes da USP!

19 Dec 2011   |   comentários

Repudiamos a eliminação de 6 estudantes do corpo discente da USP divulgada em despacho no Diário Oficial de 16/12/2011 pelo Reitor João Grandino Rodas. O Reitor declarou que "as normas disciplinares do Regimento Geral da USP, de 1972, em vigor por força do art. 4º das disposições transitórias do Regimento Geral, atualmente vigente, foram recepcionadas pela Constituição Federal de 1988" para tentar justificar o uso de normas criadas ainda na época da ditadura militar e utilizadas até hoje como forma de coibir e punir manifestações políticas.

A eliminação dos estudantes Jéssica de Abreu Trinca, Aline Dias Camoles, Amanda Freire de Sousa, Bruno Belém, Marcus Padraic Dunne e Yves de Carvalho Souzedo, todos moradores do Conjunto Residencial da USP (CRUSP) que lutavam por permanência estudantil, é uma evidente perseguição política que apenas reforça a idéia de que a "ditadura ainda vive na USP". Seja na tentativa de prestar homenagem àmortos da "Revolução de 1964" (na realidade, golpe militar) ou na voz de um Reitor que isentou o Estado e os torturadores no conhecido caso Zuzu Angel, a verdade é que a USP convive ainda com os entulhos da ditadura militar, utilizando-se de repressão, perseguição e espionagem (como nos tempos do Serviço Nacional de Informação e do DOPS da ditadura) para implementar o projeto do governo do Estado de São Paulo, dirigido por Geraldo Alckmin do PSDB, que significa a elitização e mercantilização integral da Universidade de São Paulo.

A "eliminação" dos 6 estudantes se soma àprisão política de 73 estudantes e trabalhadores, aos mais de 25 processos por delito de opinião (como na ditadura) contra diretores do Sintusp, estudantes e trabalhadores, e àdemissão inconstitucional de Claudionor Brandão, dirigente sindical. Entre os trabalhadores, já foram mais de 270 demissões no início de 2010, e agora começa-se a "ensaiar" a implementação do PROADE que significa uma forma de enxugar o quadro funcional através de milhares de demissões escamoteadas por "avaliação de desempenho". Não àtoa, o prêmio de "excelência" dado aos funcionários tem como prerrogativa o "bom comportamento" e a não realização de greves, como uma tentativa de cooptar os trabalhadores e calar suas vozes.

É necessário que, imediatamente, todas as forças democráticas de dentro e fora da universidade se unam para enfrentar este conjunto de ataques que, ao que tudo indica, tendem a se aprofundar. Exigimos a revogação imediata da eliminação dos 6 estudantes. Anulação dos inquéritos policiais contra os 73 presos políticos da USP. Retirada de todos os processos administrativos contra estudantes e trabalhadores. Reintegração de Claudionor Brandão. Fim de todas as perseguições políticas e espionagem. Abaixo a ditadura de Rodas. Fim do Vestibular. Dissolução do Conselho Universitário. Estatuinte Livre e Soberana para refundar uma USP democrática, pública e para todos.

19 de dezembro de 2011
Liga Estratégia Revolucionária - Quarta Internacional

Artigos relacionados: Juventude









  • Não há comentários para este artigo