Revista Estratégia Internacional

CONTATO ler-qi@palavraoperaria.org

Revista Estratégia Internacional Brasil Nº 01

Editorial

A revista Estrategia Internacional, órgão teórico da Fração Trotskista – Quarta Internacional, já leva mais de uma década de existência, período ao longo do qual tem polemizado com a inte-lectualidade latino-americana e européia sobre distintas questões de teoria, política, economia e da luta de classes em diversos países e em nível internacional.

Discutindo a partir das concepções de Trotsky com as idéias dominantes de nossa época

Desafiando a miséria do possível

Por: Christian Castillo, PTS , Emilio Albamonte, PTS Não há dúvidas que nos últimos trinta anos uma mudança de cenário estratégico foi se conformando no panorama mundial. Esta mudança modificou tanto as relações de forças entre as classes fundamentais do capitalismo como o sistema de Estados, tal como estes se apresentaram no “mundo de Yalta†.

Trotsky e a democracia soviética

Para além da democracia liberal e do totalitarismo

Por: Claudia Cinatti, PTS , Emilio Albamonte, PTS O horizonte da teoria política contemporânea está dominado pela falsa antinomia entre “democracia†e “totalitarismo†. Esta simplificação vulgar pretende ignorar mais de um século e meio de história da classe operária, reduzindo toda a experiência revolucionária ao stalinismo e suas variantes.

Mitos e realidade da China atual

Por: Juan Chingo O extraordinário crescimento sustentado da economia chinesa por mais de duas décadas é, sem lugar a dúvidas, uma das maiores transformações da economia e da politica internacional.

Campanha contra o ministerialismo do SU

Por: Simone Ishibashi O Secretariado Unificado que se reivindica como parte da tradição trotskista atribuindo a si o nome de Quarta Internacional, tem defendido e mantido um membro seu no Ministério do Desenvolvimento Agrário do governo burguês de Lula.

Origens, fundamentos e contradições do neoliberalismo petista

Por: Daniel Matos Apesar de sua política impressionantemente direitista, que chegou ao cúmulo inclusive de defender os generais que torturaram e assassinaram na ditadura militar, o governo Lula tem conseguido “administrar†as profundas contradições que se abriram com sua própria eleição.

Uma política sindical revolucionária

Por: Val Lisboa Os quase dois anos de governo burguês de Lula-Alencar deram início a um incipiente, mas rico processo de experiência do movimento de massas e do movimento operário com as direções do PT e da CUT.

PSOL: um experimento pós-marxista

Por: Luis Siebel A chegada de Lula e do PT ao governo federal abre oportunidades inéditas de enfrentamento de setores do movimento de massas com suas principais direções políticas nas últimas duas décadas.

A propósito da Crítica àRazão Dualista e “O Ornitorrincoâ€

Uma polêmica com Francisco de Oliveira

Por: Edison Salles , Ronaldo Fonseca

Revista Estratégia Internacional Brasil Nº 02

Apresentação

A Revista Estratégia Internacional, publicada pela Fração Trotskista – Quarta Internacional desde 1991 e que proximamente lançará sua 24ª edição, vem dedicando-se à tarefa de resgatar a tradição do marxismo revolucionário da I e II Internacionais antes de sua degeneração reformista, da III Internacional antes de sua stalinização e da IV Internacional, atualizando as ferramentas do marxismo à luz dos novos desafios colocados pelas transformações do capitalismo e pelos novos fenômenos da luta de classes (...)

Revista Estratégia Internacional Brasil Nº 03

Apresentação

A Revista Estratégia Internacional Brasil, que chega agora com este número à sua terceira edição, é parte dos esforços da Fração Trotskista – Quarta Internacional, e de sua organização brasileira, a Liga Estratégia Revolucionária, para resgatar e tornar viva a tradição do marxismo revolucionário à luz dos novos desafios colocados neste início de século.

Algumas lições do ascenso proletário dos anos 70 contra a ditadura e o papel da esquerda

Entrevistamos “Val†, dirigente da LER-QI e protagonista da época, a respeito das elaborações que a organização está produzindo sobre um dos períodos mais importantes da história do Brasil do século XX.

Uma polêmica sobre as frentes “antineoliberais†e os “partidos amplos anticapitalistasâ€

Que partido para qual estratégia?

Revista Estratégia Internacional Brasil Nº 04

Revista Estratégia Internacional Nº 05

REVISTA ESTRATÉGIA INTERNACIONAL BRASIL

Apresentação

A revista Estratégia Internacional Brasil chega à sua quinta edição, e é parte dos esforços da Fração Trotskista – Quarta Internacional e de sua organização brasileira, a Liga Estratégia Revolucionária-QI, em tornar viva a tradição do marxismo revolucionário à luz dos novos desafios colocados. Este esforço teórico se liga à luta pela reconstrução do partido mundial da revolução, a IV Internacional, e de suas seções nacionais, como via de responder à necessidade cada vez mais candente do avanço da (...)

SOBRE A ATUALIDADE DO LEGADO DE LEON TROTSKY E DA IV INTERNACIONAL

Nos limites da restauração burguesa

Esta contradição entre a reatualização das premissas objetivas para a revolução proletária e a crise de subjetividade que atravessa o movimento operário é o único ponto de partida para uma compreensão profunda das tarefas dos revolucionários hoje. Se a atualidade do marxismo está dada pela persistência das condições que lhe deram origem, e se o marxismo clássico do século XX também é atual, pela conti¬nuidade das condições da época imperialista de declínio do capitalismo, o legado de Trotsky, (...)

TERCEIRO ANO DA CRISE ECONÔMICA INTERNACIONAL

As medidas de contenção se tornam elos débeis

Por: Paula Bach O presente artigo foi publicado na revista Estratégia Internacional Nº 27, em espanhol. Avaliamos que seria importante publicá-lo, com capítulo de atualização que busca contrastar as tendências apontadas no artigo original com o modo como se desenvolveram, considerando que nos encontramos em uma situação mundial político-econômica muito dinâmica.

A PRIMAVERA à RABE E A INAUGURAÇÃO DE NOVOS TEMPOS

Um debate sobre os desafios programáticos e teóricos postos para os revolucionários

Por: Simone Ishibashi O ano de 2011 iniciou-se com a explosão do movimento de massas em uma série de países do mundo árabe e do norte da à frica. A primavera árabe, nome dado em alusão à primavera dos povos de 1848 que coordenou levantes em diversos países da Europa, segue atuante. Após meses de seu desenvolvimento é possível traçar um balanço desta primeira etapa. É certo que cada processo revolucionário aberto em cada país do mundo árabe merece um balanço próprio. Porém, para a reflexão que nos propomos aqui (...)

QUAL “PROJETO DE PAà S†?

Brasil: Entre o gradualismo reformista e as contradições estruturais do país

Por: Daniel Matos Os êxitos do gradualismo lulista debilitam em grande medida os setores da esquerda, retirando-lhes base social, isolando-os politicamente, ou então os cooptando. Quanto mais forte fica a idéia de que o Brasil pode avançar para uma melhoria gradual das condições de vida, desenvolvendo-se como uma “grande potência†de forma aparentemente independente do imperialismo, mais débil torna-se a ideia de que são necessárias transformações sociais profundas e radicais baseadas na luta revolucionária do (...)

A ARGENTINA APÓS A MORTE DE NESTOR KIRCHNER

Entre a irrupção dos mais explorados e o processo eleitoral de 2011

Por: Christian Castillo, PTS Diferentemente do presente ano, os últimos meses do ano de 2010 foram pródigos em mudanças bruscas da situação política, quiçá como em poucos momentos de todo o ciclo kirchnerista.(...) É altamente sintomático que os recentes assassinatos em mobilizações tenham sido em ações dos trabalhadores terceirizados, dos povos originários e dos sem teto, três setores que expressam parte das camadas mais exploradas da classe operária e das massas (...)

A FRENTE DE ESQUERDA NA ARGENTINA

Um importante exemplo de uma nova política revolucionária para as eleições

A Frente de Esquerda na Argentina composta pelo PTS, organização irmã da LER-QI na Argentina, PO (Partido Obrero) e IS (Izquierda Socialista) está se colocando como uma alternativa classista, combativa e socialista nestas eleições. A campanha política que a Frente de Esquerda está levando adiante está se transformando em uma importante referência para todos os setores de trabalhadores, populares, juventude e de intelectuais que defendem uma política que de fato atenda à s demandas de todos os (...)

ESTADO ESPANHOL

Uma política revolucionária frente a explosão dos “indignadosâ€

A Europa segue no centro da luta de classes internacional. Os pacotes de ataques desferidos pelos governos imperialistas e pela cúpula do FMI estão encontrando respostas cada vez mais contundentes dos trabalhadores e da juventude. Entrevistamos Santiago Lupe, jovem dirigente do Clase contra Clase, organização irmã da LER-QI no Estado Espanhol, que ao lado de jovens estudantes e trabalhadores está levando adiante uma atuação exemplar no interior do massivo movimento dos indignados, que tomou as (...)

LIÇÕES POLà TICO-ESTRATÉGICAS DO OUTONO FRANCÊS

À luz do legado esquecido de Leon Trotsky na França

Por: Juan Chingo Durante pouco mais de dois meses, a França, país que é a quarta maior potência imperialista no mundo, foi sacudida por um movimento de massas cuja profundidade e amplitude não possuem paralelo desde 1968.

ANEXO

Contribuição da Plataforma 4 ao Balanço do Primeiro Congresso do NPA

O primeiro congresso do NPA aconteceu em um contexto marcado pela continuação da crise do capitalismo, o movimento histórico contra a reforma das aposentadorias na França e pela onda de processos revolucionários que atravessa os países árabes. O levante do proletariado e do povo desses países contra a carestia de vida, o desemprego e a ditadura apoiada pelos imperialistas ecoou nos delegados, como demonstrou a reunião organizada com militantes tunisianos e egípcios. Mas o congresso não soube (...)

ANEXO 2

“Uma Corrente Comunista Revolucionária no NPAâ€

Completando o dossiê França, publicamos abaixo uma entrevista com os companheiros Daniela Cobet, Vincent Duse e Manu Georget, membros eleitos do CPN do NPA pela Plataforma 4, no 2º Congresso do Partido, realizado em fevereiro deste ano.

Cadernos Estratégia Internacional Brasil