Sábado 20 de Julho de 2019

Nacional

DECLARAÇÃO UNITà RIA

Reunião na UFRJ para organizar uma campanha de solidariedade

08 Apr 2010 | Reunião para começar a campanha: sexta-feira, 9/4 no pátio do IFCS UFRJ à s 17horas. Largo São Francisco, 01, Centro – RJ.   |   comentários

Reproduzimos abaixo declaração unitária assinada por CAEFD - UFRJ (Centro Acadêmico de Educação Física e Dança da UFRJ); Movimento “A Plenos Pulmões†; Pão e Rosas; Movimento “Nós não vamos pagar nada†, que convocam a reunião de amanhã.

A chuva é natural, a catástrofe é social! Comecemos já uma campanha de solidariedade nas universidades!

Segunda-feira registrou-se a maior chuva em décadas no Rio de Janeiro. Uma chuva como esta seguramente causaria transtornos mas os contornos catastróficos que tomou não são algo natural mas algo construído pelo capitalismo. A mesma quantidade de água que criou incríveis transtornos na Lagoa não matou nem desabrigou ninguém, já nos morros e favelas desabrigou milhares e ceifou a vida de mais cem pessoas. Esta catástrofe é produzida pela ganância capitalista que fomenta a especulação imobiliária, a dificuldade de transporte e força as pessoas a viverem em locais arriscados. Com esta desculpa da natureza e dos atos arriscados do povo todos governos, Lula, Cabral e Paes, omitiram sua responsabilidade nesta tragédia anunciada.

Nunca faltaram bilhões de reais as empresas, bilhões para a polícia reprimir e assassinar moradores nos morros e menos ainda faltam para os anúncios de obras faraônicas para a Copa e Olimpíadas, para um plano de obras públicas que efetivamente garanta o direito àmoradia vê-se poucos centavos. Até as poucas obras de moradia do PAC em Manguinhos, “para tirar o povo da merda†como disse Lula, foram inundadas, e aos moradores só restou a ajuda de seus vizinhos. Esta mesma situação é denunciada na mídia em diversos locais como no Morro do Estado em Niterói, em São Gonçalo e toda a região metropolitana.

Depois de lucrar milhões em cima da especulação e culpar o próprio povo pela tragédia, agora não faltam empresários, artistas e governantes chamando o povo a fazer doações. Já vimos este filme outras vezes, as doações nunca chegam, e ainda tentam omitir sua real responsabilidade de colocar os recursos oriundos dos impostos para garantir as condições de moradia para todo o povo. Por isto achamos que nós estudantes podemos dar um passo àfrente e assumir esta responsabilidade, fazermos uma campanha de denúncia desta omissão dos governos, exigência de um plano de obras públicas controlado pelas entidades sindicais e organizações de moradores e começarmos uma forte campanha de solidariedade coletando alimentos, roupas, cobertores, dinheiro nas salas de aula e chamando as entidades estudantis, organizações sindicais, populares e políticas a junto de nós organizarmos a solidariedade ao povo atingido pelas enchentes e deslizamentos.

Para se incorporar ao chamado e/ou fazer doações escreva para campanhasolidariedaderj@gmail.com

Artigos relacionados: Nacional , Rio de Janeiro









  • Não há comentários para este artigo