Juventude

UNESP

Relato da mobilização do dia 15 em Rio Claro

23 Apr 2010   |   comentários

Na última quinta-feira aqui em Rio Claro
realizamos um dia de paralisação com ato
em solidariedade àparalisação chamada
pelo Sintunesp, atendendo ao chamado que
tiramos no CEEUF-Araraquara, construído
a partir das Assembléias locais da Moradia
e Geral dos estudantes.Votamos na
Assembléia de quarta e construímos quinta:
piquete de esclarecimentos na portaria
desde as 7:30h, em conjunto com os
trabalhadores. Parávamos todos para
conversar sobre nossa pauta e sobre o
movimento. Éramos mais de 100 estudantes
e cerca de 20 trabalhadores e dali saímos
em ato depois de 2h para passar em todas
as salas que estavam tendo aula.

Entrávamos e conversavamos calmamente
com cada turma não apenas sobre aquelas
reivindicaçoes, mas também sobre a crise
da universidade mais de fundo. Depois às
14h nos concentramos novamente para
organizarmos um panelaço nas diretorias,
dessa vez com 90 estudantes e novamente
com os trabalhadores. Nosso panelaço
invadiu a diretoria do IB (Instituo de
Biologia), mas infelizmente não
encontramos nenhum diretor ou vice lá.

Depois seguimos àdiretoria do IGCE,
percorremos o prédio todo no pé do
burocrata e quando o fechamos num canto
para pedir pronunciamentos sobre a pauta
gaguejou, tremeu e sumiu. Fizemos uma
rápida plenária para encaminhar algumas
coisas: sem satisfações e sem
pronunciamento público marcamos uma
nova assembléia geral para segunda-feira.

Essa mobilização se pautava nas discussões
da reunião do Encontro Estadual e também
do CEEUF, mas foi muito impulsionada
ainda pelo fato de serem mais de 3 vezes
maior o número de pedidos de bolsa BAAE
I do que há disponível. Sabemos que essa
reivindicação não diz respeito somente a
Rio Claro e portanto chamamos todos os
estudantes a debaterem profundamente em
seus campi sobre isso pois para levarmos
até o fim uma luta com essas reivindicações
somente nos organizando em escala
estadual podemos começar a falar sério.

Reafirmamos ainda que essa luta é
encarada pela nossa gestão do DA como
fundamental para o ME combativo, porém
que nosso programa não acaba aqui.
Garantir bolsas a todos que precisam,
acabar com a repressão e defender a
qualidade do ensino público são demandas
diante das quais não arredamos o pé,
porém não esgotam nosso programa:
queremos que toda a população desfrute
disso e, portanto, chamamos a todos os
estudantes combativos a não perdermos de
vista a necessidade de combatermos a
elitização desde o vestibular, exigindo vagas
públicas para toda a juventude trabalhadora
e que estatizemos grandes monopólios da
educação para garantirmos isso. Chamamos
ainda àconstrução de uma aliança com
estudantes secundaristas e das particulares
para potencializarmos essa luta
imediatamente.

Esta semana teremos assembléia em nosso
campus e pretendemos travar esse
combate, para que o ME continue seus
avanços de métodos e de conteúdos desde
o ressurgir de 2007, superando os vícios de
uma militância atrasada e corporativa.
Chamamos todos os campi da Unesp a
debaterem em suas assembléias de base
nossas reivindicações do CEEUF, bem como
o chamado feito pelo Sintusp para um ato
unificado no dia 29, nossa reunião para o
Encontro Estadual dia 22, mas também a
reunião nacional da Anel dia 02, pois esses
espaços são importantes para o avanço das
lutas e devem ser construídos somente
pelo debate desde baixo e desde cada luta
concreta que travamos.

Artigos relacionados: Juventude









  • Não há comentários para este artigo