Terça 22 de Outubro de 2019

Movimento Operário

Proposta pelos direitos da mulher trabalhadora

02 Jul 2008   |   comentários

Todos os problemas do sistema capitalista se apresentam de forma mais dramática na vida das mulheres trabalhadoras. Se hoje estamos no mercado de trabalho é porque esse sistema se aproveita da opressão da mulher e também dos negros e negras para explorar ainda mais. Sofremos com a dupla jornada de trabalho, que nos golpeia, por termos que cuidar da família e da casa, ao mesmo tempo que trabalhamos fora de casa, precarizadas e com os piores salários. Além disso, o mesmo Estado, com a burguesia, coloca de forma violenta suas mãos sobre nossos corpos, querendo nos proibir de tomar a decisão elementar sobre ter um filho ou não. Colocam a polícia assassina para perseguir as mulheres que fazem aborto, como no caso do Mato Grosso do Sul, e ao mesmo tempo os patrões demitem as trabalhadoras que engravidam. E para toda essa ofensiva reacionária contam com o apoio da Igreja Católica e até de Heloísa Helena do PSOL que faz campanha contra o direito ao aborto. É preciso dizer basta a tamanha hipocrisiae organizar as mulheres trabalhadoras desde seus locais de trabalho e sindicatos para impulsionar uma grande campanha pelo fim da dupla jornada e em defesa das trabalhadoras precarizadas! É por isso que eu, mulher trabalhadora e revolucionária, considero fundamental dar essa batalha e defender que essas resoluções apresentadas no Encontro de Mulheres da Conlutas também sejam votadas neste I Congresso, para serem implementadas de fato.

Apoio e proponho as resoluções aprovadas pelo Sintusp:

- Campanha em defesa do direito ao aborto público, seguro e gratuito!

- Campanha nacional de saúde, educação sexual e fornecimento gratuito de contraceptivos!

- Repúdio àreacionária campanha de Heloísa Helena e da Igreja Católica contra o direito ao aborto!

E propomos também:

- Salário igual para igual trabalho entre homens e mulheres.

- Fim da dupla jornada de trabalho. Por creches, lavanderias e restaurantes comunitários em bairros e locais de trabalho, garantidos pelo Estado e a patronal.

- Direito àmaternidade. Atendimento médico gratuito e de qualidade durante a gestação, o parto e pós-parto.

Artigos relacionados: Movimento Operário , Mulher









  • Não há comentários para este artigo