Domingo 21 de Julho de 2019

Nacional

REUNIÃO NACIONAL DA CONLUTAS (14, 15 E 16/12 EM BETIM)

Preparar um verdadeiro plano de lutas

11 Dec 2007   |   comentários

O governo pretende votar o projeto de reforma das leis trabalhistas ’ “nova CLT†, do deputado Cândido Vaccareza, do PT ’ em fevereiro. Lula está em campanha em defesa da CPMF, ou seja, mais imposto sobre a população, que é quem paga, no final. Renan Calheiros é absolvido. A polícia dos estados e a Força Nacional de Lula continuam massacrando nas favelas e bairros operários. As prisões nos governos petistas mostram sua verdadeira face de campos de concentração contra os pobres e pretos, principalmente contra as mulheres. Estádios de futebol desmoronam, matam e ferem trabalhadores, e os governantes seguem impunes. Os preços dos alimentos diminuem o poder aquisitivo dos salários. A precarização do trabalho corre solta. O direito de greve foi duramente atacado pelo Supremo Tribunal Federal.

É nessa conjuntura que a direção da Conlutas convoca reunião nacional ’ 14, 15 e 16 de dezembro, em Betim (MG), que tem como principal objetivo preparar um congresso no meio do ano que vem. Em nossa opinião o principal objetivo dessa reunião nacional deveria ser aproveitada para fazer um sério balanço das atividades deste ano, corrigindo rumos e dando passos efetivos na preparação, em todos os sindicatos e organizações, de um verdadeiro plano de lutas, com ações combativas para mobilizar os trabalhadores e unificar os sindicatos para a luta. Como medida prática deveria aprovar a convocação de um Encontro Nacional de Trabalhadores e Organizações Combativas para o final de janeiro, abrindo a discussão nas bases dos sindicatos sobre o programa (vide pág. 3) e o plano de ação que os delegados eleitos democraticamente levariam para aprovação neste Encontro. Buscando a unidade dos setores antigovernistas a Conlutas deveria convocar a Intersindical àunificação baseada em pontos comuns do programa e plano de luta.

Com um verdadeiro plano de luta com ações combativas ’ paralisações, greves, piquetes, manifestações massivas etc. ’ a Conlutas e seus sindicatos estariam melhor armados para defender a unidade dos trabalhadores e desmascarar os sindicalistas governistas que negociam com o governo e a patronal contra a classe trabalhadora. Assim, a preparação do Congresso Nacional, em julho, estaria fortalecida pela unidade e ação comum dos sindicatos e ativistas da Conlutas, refletindo numa participação ativa dos delegados no Congresso.

Basta de ações midiáticas. Preparar os trabalhadores para a luta de classes

Perante essa conjuntura, a direção da Conlutas afirma que “mobilizará todas as suas entidades e chama a classe trabalhadora brasileira a resistir a mais esse ataque brutal contra os direitos dos trabalhadores†. Porém, o que temos visto são ações midiáticas, que aparecem na imprensa mas em nada ameaçam os patrões e o governo. Contra a “nova CLT†a direção da Conlutas reuniu um punhado de sindicalistas em Brasília, para “exigir†que o deputado do PT ’ que governa para os capitalistas ’ arquivasse o projeto de reforma. Contra os leilões da Petrobrás, junto com a CUT, outros pelegos e a Igreja, estavam os sindicalistas da Conlutas ocupando o prédio da Agência Nacional de Petróleo (ANP) para “exigir†uma audiência com o “leiloeiro†Haroldo Lima, diretor da ANP e dirigente do PCdoB. Este é o poder de mobilização da Conlutas? Com essas ações barraremos a retirada dos direitos trabalhistas e os planos do governo e da patronal? Este rumo precisa ser corrigido, para enfrentar seriamente os ataques do governo e da patronal e a luta contra a burocracia sindical governista.

Artigos relacionados: Nacional , Movimento Operário









  • Não há comentários para este artigo