Terça 20 de Agosto de 2019

Movimento Operário

Eleições do SINTUSP: Nem os governistas corruptos do PT/CUT (Chap 3), nem os pelegos do PSOL (Chapa 2)

Precisamos uma direção democrática e combativa

09 Nov 2007   |   comentários

A chapa 2, intitulada Oposição Sindical de Esquerda, encabeçada por Marcelo Cardaggi e Vera Monezzi, tenta esconder que faz parte do PSOL de Heloisa Helena. Este partido, apesar de ter surgido das lutas contra a reforma da previdência em 2003, já póde demonstrar, mesmo com seu pouco tempo de vida, ser um partido antioperário que ajudou a aprovar leis contra os trabalhadores como o Supersimples, que legaliza a precarização de mais de 60% dos trabalhadores do país das pequenas e médias empresas.

Os integrantes desta chapa escondem seu partido para não ter que explicar votações como essa. Ainda assim, diferenciamos os trabalhadores comuns que reivindicam o PSOL, uma vez que o fazem porque estão contra o governo Lula, e muitos deles estiveram conosco na greve e na ocupação da reitoria da USP.

A Chapa 3 do PT/CUT tem como apoiador direto Ricardo Berzoinni, presidente nacional do PT e ex-ministro da Previdência no governo Lula. Se um dia entrassem no Sintusp, significaria que os combativos trabalhadores da USP teriam na direção de seu sindicato os mesmos carrascos que enriquecem os capitalistas, que são parte dos escândalos de corrupção e que arrancam nosso direito de greve. Como o próprio Lula (chefe maior da Chapa 3) disse, greve sem corte de ponto é férias! E é com o governo Lula que a CUT está negociando nosso direito de greve, a manutenção do imposto sindical e sua legalização como central, que lhe daria amplos poderes para negociar mais ataques aos trabalhadores. Seguindo a tradição dos dirigentes sindicais do mensalão e da burocracia da CUT, que vivem e se enriquecem traindo as lutas dos trabalhadores em acordos e negociatas com a patronal e o governo, a Chapa 3 reúne burocratas como Bezerra, expulso da diretoria e proibido de se candidatar por seis anos por entregar nosso sindicato nas mãos da justiça burguesa além de se envolver em escândalos de corrupção.
Por isso, chamamos todos os trabalhadores da USP a votarem na Chapa 1, que está composta por trabalhadores que organizam as greves ano após ano. Os trabalhadores da USP conhecem nossas diferenças em relação àpolítica da atual diretoria e os métodos e propostas de formação dessa chapa, que excluiu companheiros combativos e classistas da LER-QI defendendo a lei precarização que contrata funcionários na USP por tempo determinado. Apesar diso, reiteramos o chamado para que os trabalhadores da USP votem na Chapa 1 para barrar a Chapa 3 PT/CUT, do governo corrupto e neoliberal, e também os pelegos da Chapa 2 PSOL. Assim continuaremos a luta por uma direção verdadeiamente classista e combativa em nosso sindicato.

Pablo e Pablito são trabalhadores precarizados da USP

Artigos relacionados: Movimento Operário









  • Não há comentários para este artigo