Palavra Operária nº080

CONTATO ler-qi@palavraoperaria.org

Nacional

RIO DE JANEIRO

A ocupação da Rocinha inaugura uma nova era: a era das Olimpíadas e mais repressão aos trabalhadores, os pobres e os negros

Por: Leandro Ventura , Livia Barbosa A geografia das UPPs não permite tergiversações. Duas cidades no país tem unidades deste modelo traçado no PRONASCI (PAC da Segurança): Rio de Janeiro e Salvador. Duas cidades que além de serem destinos turísticos são e serão a cara do país na Copa do Mundo e sobretudo nas Olimpíadas que serão sediadas na capital fluminense. A partir do Rio de Janeiro que já ostenta 14 UPPs a mais que Salvador a burguesia brasileira joga-se em um projeto de como gerir (reprimindo) os pobres urbanos, sobretudo os (...)

EDITORIAL: A LUTA DOS ESTUDANTES DA USP ABRIU UM GRANDE DEBATE NACIONAL SOBRE A POLÃ CIA E AS UNIVERSIDADES

Não deixemos Alckmin e Rodas calar este exemplo punindo os 73!

POR UMA CAMPANHA INTERNACIONAL CONTRA AS PERSEGUIÇÕES POLà TICAS E PELA RETIRADA DE TODOS OS PROCESSOS A ESTUDANTES E TRABALHADORES

Anulação já dos inquéritos ilegais contra os 73 presos políticos da USP!

Por: Diana Assunção , Ravena Veiga Não permitamos que a Reitoria prepare o terreno para fazer passar uma histórica criminalização ao movimento estudantil e de trabalhadores, com o aval do governo do Estado de São Paulo. Num momento em que os trabalhadores e a juventude do Egito sofrem com mais de 12 mil processos contra ativistas e militantes, em que a juventude chilena é duramente perseguida e criminalizada, demonstrando a resposta dada aos setores que contestam a ordem imposta, faz-se ainda mais urgente esta luta contra a (...)

DIREITOS HUMANOS

A “Comissão da Verdade†é aprovada por Dilma com a mesma mordaça usada pelos coronéis da ditadura militar!

Por: Domenico Colacicco, diretor do Sintusp Como já se esperava, e como já havíamos relatado em outras edições deste Palavra Operária, o texto aprovado é exatamente o mesmo proposto pelo ex-presidente Lula há mais de um ano, e foi aprovado na Câmara e no Senado sem dificuldade, uma vez que fechou-se um pacto entre todos os partidos burgueses, capitaneados pelo PT, do qual José Genoino foi o grande interlocutor e porta voz, para garantir ao final que nenhum torturador da Ditadura Militar seja punido pelos crimes cometidos nos anos de chumbo (...)

Juventude

LIÇÕES ESTRATÉGICAS DO CONFLITO DA USP

Enfrentamento com a PM dia 27 de outubro. Mais do que autonomia universitária: ódio contra a polícia

Por: André Bof O que nasceu no dia 27 de outubro foi mais do que o movimento pelo Fora PM da USP com o conteúdo de defesa da autonomia universitária. Foi um movimento que expressava ódio não só em relação à tentativa da PM de prender os estudantes que fumavam maconha, mas também com um setor de estudantes questionando o papel que a polícia cumpre fora da USP, na repressão aos pobres e aos negros nas (...)

UNICAMP

Forjar um movimento estudantil combativo e pró-operário para questionar a universidade de classe

Por: Danilo Magrão , Iuri Tonelo É com a garra dos trabalhadores da Unicamp nesta greve histórica e aprofundando a importante volta do movimento estudantil pró-operário do IFCH que se manifesta em outros institutos, que devemos nos unificar com os estudantes da USP em luta e construir uma forte campanha pela retirada dos processos contra os 73 presos políticos e ampliar a solidariedade a greve dos trabalhadores, colocando-se na linha de frente contra qualquer (...)

BASTA DE AMEAÇAS DE MORTE AOS LUTADORES DA UNIVERSIDADE DE RONDÔNIA!

Qualquer ataque àvida dos lutadores é responsabilidade total do Estado!

Por: Felipe Campos Nós da LER-QI e da juventude à s Ruas nos colocamos em plena solidariedade a luta dos estudantes e professores da UNIR e nos colocamos contra qualquer tipo de repressão aos lutadores. Chamamos a todos os ativistas, intelectuais, sindicatos e entidades estudantis a forjar a mais ampla unidade em defesa dos lutadores da UNIR. O governo Dilma deve fazer com que cessem as ameaças aos estudantes e professores da UNIR e será responsável frente a qualquer atentado que ocorra contra estudantes e (...)

LIÇÕES ESTRATÉGICAS DO CONFLITO DA USP

A greve geral estudantil faz crescer o movimento e precisa ter como centro a defesa dos 73

A monstruosidade do aparato militar utilizado para a desocupação da reitoria, assim como a prisão de 73 ativistas que lá se encontravam, foi o estopim para a deflagração de uma greve geral estudantil, com assembleias massivas como não ocorriam desde a greve/ocupação da reitoria em 2007, assim como da ampliação dos apoios a amplos setores da intelectualidade, de artistas de esquerda e da chamada “blogsfera petista†(...)

LIÇÕES ESTRATÉGICAS DO CONFLITO DA USP

Ocupe or not ocupe: mais do que uma divergência “de método"

Por: Júlia Borges , Leticia Parks, estudante de Letras da USP Na luta para massificar o movimento pelo Fora PM da USP com um conteúdo não elitista e não corporativo, se abrem dois debates fundamentais, contra duas outras perspectivas estratégicas que foram apresentadas ao movimento. Apesar de dizerem que estão a favor do Fora PM da USP, o PSOL e o PSTU, ao defenderem desde o início que essa luta se ligasse a um “plano de segurança alternativo†, demonstram uma perspectiva estratégica distinta, de adaptação à ideologia dominante de “segurança pública†e (...)

LIÇÕES ESTRATÉGICAS DO CONFLITO DA USP

Chapa “27 de outubro – unidade na luta contra a PM e os processos†Uma importante conquista da ala combativa que deve transformar-se numa frente-única pela campanha em defesa dos 73

Por: Fernando Pardal A chapa “27 de outubro†unificou, durante a ocupação da reitoria, as correntes políticas LER-QI, MNN, POR, PCO e Práxis com os companheiros da Moradia Retomada e estudantes independentes, setores que desde o início se colocaram à frente do movimento para expulsar a PM da USP. Foi uma importante posição conquistada, definida pela própria imprensa como “ala radical†do movimento, que contribuiu para fortalecer a ligação desses setores com a massa de estudantes nos cursos, onde a chamada “ala (...)

USP

Último momento!

No dia 23/11, em mais uma assembléia massiva os estudantes da USP aprovaram a continuidade da greve e votaram novas medidas para fortalecer a luta contra a PM e a repressão. O bloco que nós da Juventude Às Ruas conformamos com ativistas independentes, travou uma luta política fundamental para evitar as tentativas do PSOL e do PSTU de dissolver a centralidade necessária da campanha em defesa dos 73 presos (...)

Movimento Operário

GREVE HISTÓRICA DOS TRABALHADORES DA UNICAMP

Fortalecer o apoio estudantil e contribuir para superar toda a herança do velho sindicato governista

Por: Iuri Tonelo , Rita Frau A greve dos trabalhadores surgiu com uma força bastante viva, fora da data-base e buscando colocar de pé uma grande luta para retomar a isonomia, em oposição ao período precedente de anos em que o sindicato era dirigido pelo governismo do PCdB. Os trabalhadores vêm demonstrando uma importante disposição, colocando na ordem do dia a fundamental coordenação das estaduais paulistas na perspectiva de grandes mobilizações para combater a divisão pela quebra da isonomia e que questionem mais de fundo os (...)

Internacional

ITÃ LIA

Um governo de “técnicos†para salvar os banqueiros e a Confederação Industrial

Por: Claudia Cinatti, PTS Logo após sua renúncia, o senado e a câmara de deputados aprovaram em tempo recorde o pacote de cortes sociais, congelamento de salário dos funcionários públicos e flexibilização do mercado de trabalho. Berlusconi não caiu pela ação do movimento de massas, embora seu governo fosse profundamente impopular como vimos nas múltiplas mobilizações e lutas, mas sim produto da pressão da União Européia (UE), a patronal agrupada na Confederação Geral da Indústria Italiana (Confindustria), e o (...)

DEBATE | ZANON, 10 ANOS DE GESTÃO OPERà RIA EM NEUQUEN-ARGENTINA

Raúl Godoy: "Se há uma luta que merece ser feita, é a luta pela revolução†. Christian Castillo: "A importância da tradição revolucionáriaâ€

Por: Christian Castillo, PTS , Raul Godoy, PTS Ocorreu no dia 10 de novembro uma importante atividade organizada pela Juventude do PTS (Partido dos Trabalhadores Socialistas, organização irmã da LERQI na Argentina). Mais de 800 pessoas se reuniram na Faculdade de Filosofia e Letras da UBA para escutar Raúl Godoy, dirigente de Zanon, e Christian Castillo, ambos dirigentes do PTS. A ocasião era os 10 anos do controle operário de Zanon e foi parte da preparação da viagem que centenas vamos empreender no dia 18 para Neuquén, para conhecer a (...)

CHILE:200 JOVENS FUNDAM A AGRUPAÇÃO COMBATIVA REVOLUCIONà RIA

"Somos a juventude que vai por tudo"

Por: Marcelo Tupinambá Essa é a idéia que ficou marcada na fundação da Agrupação Combativa Revolucionária, numa jornada intensa durante os dias 19 e 20 de novembro. Estiveram presentes jovens de cinco estados do Chile e de dezenas de universidades, colégios e locais de trabalho, para fundar a ACR, que surge com 200 jovens operários e estudantes, combativa e revolucionária, numa fusão da juventude trotskista do PTR com (...)

EGITO

Caem o Governo interino no Egito, e a máscara da Junta Militar

Por: André Augusto “Não há volta atrás, esta violência não pode ser varrida para debaixo da mesa†, diz Essam Gouda, um dos manifestantes que acorreram à Praça Tahrir para mais uma série de “jornadas de ira†do povo egípcio. Leia também: KAMAL AL-FAYOUMI, DIRIGENTE TÊXTIL EM MAHALLA – EGITO: “ESTAMOS EM PÉ SEMPRE. E SEGUIREMOS LUTANDO!â€

Questão Negra

QUESTÃO NEGRA

As origens da questão negra e seu papel em nossa revolução

Por: Daniel Alfonso A luta de classes certamente reverterá esse quadro, e um novo ascenso operário e popular, para qual a esquerda revolucionária precisa se preparar, terá na questão negra um pilar decisivo. A autodeterminação do povo negro, sob os métodos da luta de classes, será um dos golpes finais da dominação burguesa. Leia também: A LUTA PELA LIBERTAÇÂO DO POVO NEGRO É REVOLUCIONà RIA POR NATUREZA

Partido

FRAÇÃO TROTSKISTA

Carta do PTS (FT-QI) ao Partido Obrero

Ontem nos interamos através de declarações do companheiro Altamira em uma nota do diário Página/12 que em seu próximo congresso partidário discutirão uma proposta de constituição de um partido comum das forças que integramos a FIT. Estas declarações nos foram ratificadas por Gabriel Solano. Antes de tudo, queremos saldar o que poderia ser o início de uma séria e profunda discussão entre toda a militância da FIT sobre quais devem ser os caminhos para construir um grande partido de trabalhadores (...)