Palavra Operária nº079

CONTATO ler-qi@palavraoperaria.org

Nacional

FRENTE À CRISE ECONÔMICA INTERNACIONAL

A mudança da política econômica de Dilma visa desvalorizar os salários através da inflação

Por: Daniel Matos É impossível compreender as últimas mudanças operadas na política econômica do governo Dilma sem localizá-las no marco do cenário complexo da crise econômica mundial.

A PROPÓSITO DO DEBATE ELEITORAL NA ESQUERDA DO RIO DE JANEIRO

Muito cálculo de votos, de composição, alianças e até programa, mas longe da luta de classes

Por: Leandro Ventura Esse cenário regional poderia proporcionar a utilização desse espaço eleitoral para fortalecer as dezenas de lutas dos trabalhadores que vem ocorrendo como dos correios, dos bancos, dos professores, do Maracanã, setores populares em luta contra as remoções e estudantes universitários em defesa da educação.

Movimento Operário

DEBATE

Bancários: mais uma greve traída pela burocracia governista da Articulação/CUT

Por: Edison, delegado sindical da Ag. Sete de Abril da CEF Após 20 dias de greve, que a direção do Sindicato de SP classificou, mais uma vez, como “a maior dos últimos vinte anos†, a luta dos trabalhadores bancários foi enterrada na noite de 17/10. Para isso, a direção petista-cutista usou de uma manobra já conhecida da categoria: dividiu a assembleia final em três, e trouxe em peso os gestores dos bancos públicos (BB e CEF) para lotarem suas respectivas assembleias. Leia também: PEQUENO EXEMPLO DO QUE UMA INTERVENÇÃO REVOLUCIONà RIA DEVE (...)

BANCÃ RIOS

Um pequeno exemplo do que uma intervenção revolucionária deve buscar

Por: Edison, delegado sindical da Ag. Sete de Abril da CEF “Então o Sindicato vai se vangloriar por essa "conquista histórica" ? O que vai entrar prá história é a votação das propostas na penúltima assembleia. Seria cômico se não fosse uma vergonha†. P., caixa da CEF “Isso só foi possível devido a mais uma manobra do Sindicato, que marcou assembleia para os bancos públicos e privados em locais separados. Onde já se viu isso??? A campanha é unificada, a assembleia não? Pra quê? Pra juntar um monte de PM (Pau Mandado) dos gerentes pra votar a favor da (...)

MOVIMENTO OPERÃ RIO

Tática e estratégia na luta da BKM

Por: Diana Assunção Essa estratégia de combate é a que nós da LER-QI buscamos levar em todas as lutas que participamos ao lado dos trabalhadores por suas demandas mais mínimas

METROVIÃ RIOS

A verdadeira “Zorra†é criada pelo governo, a mídia e o machismo

Por: Marília Rocha Frente aos assédios sexuais no Metrô-SP, a campanha do Sindicato dos Metroviários contra o programa “Zorra Total†da TV Globo e as declarações da Secretaria Nacional de Mulheres. Leia também: A POLà TICA DOS REVOLUCIONà RIOS PARA A LIBERDADE DE IMPRENSA

UMA DISCUSSÃO COM AS CORRENTES DO SINDICATO DOS METROVIà RIOS

A política dos revolucionários para a liberdade de imprensa

Por: Marília Rocha Alguns poderão achar que é favorável à classe operária e ao combate às opressões censurar programas reacionários como esse , mas a tradição revolucionária demonstra que o que aparentemente pode parecer “correto†mostra-se, na essência, como uma política que rapidamente se volta contra a classe operária.

USP

Perseguidos por lutar

Por: Bruno Gilga , Marcelo (Pablito) Santos, diretor do Sintusp Esse projeto de universidade só pode obter sucesso se Rodas consegue dobrar a resistência de importantes setores da Universidade. A Reitoria sabe disso e justamente por isso, além da demissão política de Brandão no final de 2008, abriu agora um novo processo administrativo com o objetivo de demitir 4 diretores do SINTUSP.

DILMA ENDURECE COM OS TRABALHADORES

É necessário responder com a mobilização independente dos trabalhadores

Por: Thiago Flamé Com mais ou menos radicalidade, com enfrentamentos à burocracia sindical ou ainda expressando confiança nesta, respeitando o regime sindical (datas-bases e sindicalismo oficial) ou se mobilizando por fora dele, o fato é que existe um novo fenômeno de ativismo operário, extremamente heterogêneo, mas que cada vez mais se impõe como um ator que deve ser levado em conta até mesmo pelos setores mais (...)

Juventude

ENCONTRO DE MULHERES ESTUDANTES DA USP

Por uma estratégia independente na luta contra a opressão

Por: Ravena, estudante da Ciências Sociais e militante da LER-QI Este Encontro tem sido articulado centralmente pelo PSOL e pela Marcha Mundial de Mulheres que termina seu panfleto dizendo “Mulheres em marcha para mudar a universidade!†. É o mesmo slogan que esta organização feminista ligada ao governo e ao PT utiliza nacionalmente clamando a “mudar a sociedade†.

ENTREVISTA

“Um grupo de estudos de cultura e materialismo histórico tem que tentar entender a conjuntura mundialâ€

Reproduzimos excertos da entrevista com o professor de Literatura da USP, Daniel Puglia, que participa do grupo de estudos de cultura e marxismo, uma iniciativa da Juventude às Ruas e independentes.

USP

Uma campanha militante nas eleições estudantis da USP para combater a Reitoria

Aproximam-se as eleições para os Centros Acadêmicos e Diretório Central dos Estudantes da USP. Entrevistamos André Bof, estudante de Ciências Sociais, Beatriz Michel, estudante de Letras, e Gustavo Carneiro, estudante de História, militantes da LER-QI. Leia também: POR UMA ESTRATÉGIA INDEPENDENTE NA LUTA CONTRA A OPRESSÃO PORQUE O RODAS DEVE SER “PERSONA NON GRATA†EM TODA A (...)

Porque o Rodas deve ser “persona non grata†em toda a USP

Por: Rafael dos Santos As recentes desavenças entre a Faculdade de Direito e a Reitoria da USP são expressão de disputas entre distintas frações da burocracia acadêmica da universidade.

GREVE DOS FUNCIONÃ RIOS DA UNICAMP

Lutar por isonomia, contra as repressões e pela efetivação dos terceirizados!

Por: Iuri Tonelo Os trabalhadores da Unicamp iniciaram 18/10 sua resposta contra os ataques do reitor Fernando Costa: deflagraram uma greve pela isonomia salarial com as universidades estaduais paulistas.

Internacional

CHILE

Auto-gestão no Colégio A-90: um questionamento às estruturas de poder da educação pinochetista

A experiência do colégio A90 que descrevemos abaixo é parte dos fenômenos mais avançados que surgiram nestes 5 meses de luta do movimento estudantil chileno que despertou o conjunto da sociedade, liberando o descontentamento da população contra o neoliberalismo e o regime ultra antidemocrático chileno que carrega enormes heranças pinochetistas.

PRIMAVERA ÀRABE

A endurecida luta operária se converte no maior problema para os militares no Egito

Por: André Augusto As raízes dos desequilíbrios no Egito têm uma origem profunda, liberando a energia de contradições acumuladas em décadas, e começam a mostrar que nem mesmo a válvula de “transição†do Conselho Supremo das Forças Armadas se encontra à altura de conter. Veja também: Và DEO: ANà LISE SOBRE A PRIMAVERA à RABE, ENTREVISTA COM SIMONE ISHIBASHI

ZANON: 10 ANOS DE CONTROLE OPERÃ RIO

Uma escola de Planificação

O comando capitalista foi superado pela gestão operária coletiva organizada num verdadeiro Conselho Operário da fábrica.

ESTADOS UNIDOS E 15-O

A mobilização da juventude despertará os trabalhadores?

Por: Leandro Ventura Iniciado há mais de um mês, o movimento “Occupy Wall Street†em Nova Iorque pode expressar sinais do nascimento de um massivo movimento da juventude nos EUA e, com isto, inúmeras vias de contágio em todo o mundo . Este movimento começa, ainda que incipientemente, a atrair trabalhadores e a gerar um ativismo não só nas praças ocupadas, mas em centenas de universidades.

ARGENTINA

Ante as condenações

Por: Alejandrina Barry, filha de desaparecido, militante do PTS e candidata a senadora pela FIT, processante na causa ESMA pelo assassinato de seus pais É um grande triunfo popular de décadas de luta do povo argentino que esses genocidas, em sua grande maioria, tenham recebido a condenação de prisão perpetua.

VÃ RIOS CURSOS VOTAM GREVE NA USP

Diversos cursos estão realizando suas assembléias para referendar a proposta da assembléia geral. Já votaram greve Ciências Sociais, Letras, Artes Cênicas, Artes Visuais, Arquitetura e Urbanismo, História e Relações Internacionais (FEA) e Geografia votaram paralisação até sexta quando haverão nova assembléias de seus cursos. Em breve novas notícias.