Palavra Operária Nº 057

CONTATO ler-qi@palavraoperaria.org

Nacional

ATOS DE 1º DE MAIO NO BRASIL

Festas e missas: a classe operária sem representação política independente dos patrões e governo

Por: Leandro Ventura Com mais de 2 milhões de demissões desde setembro, com cortes de salários e direitos, PDVs, suspensões de contrato, férias coletivas e ameaças pairando sobre a educação e saúde em muitos estados e municípios os trabalhadores brasileiros não tínhamos nada o que comemorar neste 1º de maio

NENHUMA CRENÇA NO GOVERNO E NOS PORTA-VOZES DO CAPITALISMO

O pior ainda está por vir

Por: Val Lisboa Assim é o capitalismo dirigido por Lula, o petismo e a burocracia sindical em aliança com os grandes monopólios nacionais e estrangeiros. Os lucros precisam ser cada vez maiores, mas as bases econômicas para a valorização do capital se retraem – baixa renda dos assalariados, produto da precarização e superexploração, deflação de preços, mercados exportadores restringidos pela recessão –, e o resultado não pode indicar saída progressiva alguma, mesmo quando haja momentos de recuperação (...)

EDITORIAL PALAVRA OPERÃ RIA 57

Uma perspectiva operária e socialista para enfrentar a miséria capitalista

As enchentes são uma tragédia que poderia ser evitada com um mínimo de investimento em infra-estrutura e moradias decentes. Mas os mesmos que roubam nosso dinheiro em Brasília, não estão nem ai para as centenas de milhares de desabrigados e dezenas de mortos.

Debate

DEBATE COM A ESQUERDA

Os novos velhos erros da esquerda na tática da frente-única

Por: Marcelo Tupinambá Para que a crise seja paga pelos capitalistas é necessário unificar as fileiras da classe trabalhadora. Trata-se de uma tarefa tão difícil quanto necessária

Internacional

1º DE MAIO

Mobilizações e atos ao redor do mundo

O marco deste 1º de Maio foi o da crise econômica internacional. Enquanto os empresários e seus governos começam a descarregar a crise sobre os trabalhadores, onde a crise golpeia mais forte como na Europa, já começa a haver resistência. Apresentamos um breve resumo sobre alguns atos e mobilizações deste 1º de Maio, no qual participaram as organizações-irmãs da LER-QI na América Latina e na (...)

PAQUISTÃO

A terceira guerra de Obama?

Por: Claudia Cinatti, PTS Mais de 150 afegãos, a maioria mulheres e crianças segundo o informe de organizações humanitárias, morreram por conta do bombardeio aéreo que em 4 de maio foram desferidos pelas forças de ocupação na província de Farah.

Juventude

A JUVENTUDE EM DEFESA DA GREVE DA USP

Por uma Universidade a serviço dos Trabalhadores!

"Quando lutamos por uma educação pública de qualidade e para colocar a universidade a serviço dos trabalhadores, estamos lutando pelo nosso direito ao futuro!"

JUVENTUDE TRABALHADORA

A luta da juventude pelo direito ao emprego e educação

Por: Maíra Viscaya Em recente pesquisa, o IBGE aponta que 21,1% de jovens que tem entre 16 e 24 anos estão desempregados. Vemos que com o avançar da crise capitalista a situação da juventude tende a se tornar cada vez mais precária.

DENÚNCIA

Toque de Recolher?

Saiu no Diário Regional do Grande ABC, do dia 06 de maio, que diversas cidades do interior paulista estão implementando o “toque de recolher†para a juventude menor de 18 anos.

Luta Negra

O POVO NEGRO NO BRASIL

121 anos depois da abolição

Por: Mara Onijá No mês em que se completam 121 anos da assinatura da Lei à urea no Brasil, vêm à tona novamente debates sobre o significado histórico desta data e quais as transformações que de fato se efetivaram na vida dos milhões de negros brasileiros, mais da metade da população nacional.

Mulher

CAMPANHA

Pão e Rosas chama a uma grande campanha pelo direito ao aborto legal, seguro e gratuito

O grupo de mulheres Pão e Rosas Brasil, Argentina e Chile vem impulsionando desde o mês de março a campanha latino-americana “Basta de mulheres mortas por abortos clandestinosâ€

FRENTE NACIONAL PELO FIM DA CRIMINALIZAÇÃO DAS MULHERES E PELA LEGALIZAÇÃO DO ABORTO

De qual frente-única precisamos?

Por: Diana Assunção As políticas de frente-única que unificam setores em torno de uma bandeira comum são importantes, principalmente num momento em que a direita, encabeçada pela Igreja, já começa a se levantar. Mas é necessário saber que por trás de uma política de frente-única está plasmado um programa e uma estratégia a serem defendidos, e por isso a participação de organizações revolucionárias e grupos de mulheres que lutam contra a exploração capitalista devem se dar num marco (...)

Suplemento Especial - Todo Apoio àGreve da USP

Claudionor Brandão:

Construir uma greve unificada de funcionários e estudantes em defesa da educação pública

A seguir entrevistamos Claudionor Brandão, diretor do Sintusp, demitido político e dirigente da LER-QI.

Domênico Moreti

Defender o direito democrático de liberdade de organização sindical

A seguir entrevistamos Domênico, trabalhador da Faculdade de Comunicação e Artes da USP (ECA), delegado eleito por sua unidade para o Comando de Greve da categoria e militante da LER-QI.

Pablito:

Por uma greve solidária com o povo explorado e oprimido

A seguir entrevistamos Pablito, trabalhador, vice-presidente da CIPA do Restaurante Central da universidade, delegado eleito por sua unidade para o Comando de Greve da categoria e dirigente da LER-QI.

Diana Assunção:

Lutar pela unidade entre efetivos, terceirizados e temporários

A seguir entrevistamos Diana, trabalhadora da Faculdade de Educação, delegada eleita em sua unidade para o Comando de Greve e dirigente da LER-QI.

Celso:

Um chamado àConlutas

A seguir entrevistamos Celso, trabalhador do da USP, delegado eleito por sua unidade para o Comando de Greve da categoria e militante da LER-QI.