Palavra Operária Nº 048

CONTATO ler-qi@palavraoperaria.org

Teoria

UNIVERSIDADE

A crise mundial e a perplexidade dos intelectuais

Por: Edison Salles Na semana de 21 a 24 de outubro teve lugar na USP o seminário internacional “Hegemonia às avessas - Economia, Política e Cultura na Era da Servidão Financeira†.

Movimento Operário

UM PROGRAMA OPERÃ RIO INDEPENDENTE

Como dizem os trabalhadores e estudantes italianos: não vamos pagar sua crise!

Para evitar a fuga de capitais e destinar o dinheiro público às necessidades do povo, nacionalização sem indenização dos bancos sob controle dos trabalhadores e comitês de usuários!

DEPOIMENTOS

Falam os trabalhadores...

"A crise não é culpa dos norte-americanos, mas sim do conjunto da burguesia. E tanto Bush quanto Lula socorrem os banqueiros. Os políticos farão de tudo pra salvar os ricos e sacrificar os pobres. Se preparar para a crise não significa poupar dinheiro. Os trabalhadores precisam se ver como uma classe capaz de transformar a realidade. A solidariedade entre os trabalhadores é a alternativa para barrar as demissões e o arrocho salarial. A crise é uma prova trágica de que o capitalismo tem que cair, (...)

MANIFESTO

Manifesto contra a repressão e as novas medidas contra a qualidade de ensino na USP

A LER-QI apóia a campanha e o manifesto (segue abaixo trechos) impulsionados pelo Sintusp e intelectuais, que ganhou rapidamente adesões importantes. Leia abaixo o manifesto.

BUROCRATAS SINDICAIS NÃO LARGAM O "CADà VER" CAPITALISTA

O capitalismo prepara mais desemprego, fome e miséria

Por: Jaime Caribé O governo Lula se lança descaradamente para salvar os banqueiros e capitalistas industriais com dinheiro público, isenção de impostos e outras medidas. Para os trabalhadores e o povo pobre, o governo não reservou qualquer injeção de recursos ou plano econômico. É o governo de um ex-sindicalista metalúrgico do ABC e de um partido que dizia defender os trabalhadores e acabou completamente serviçal dos capitalistas – banqueiros, industriais, comerciantes, latifundiários e (...)

Juventude

NEOLIBERALISMO, CAPITALISMO. QUEM AGONIZA?

Debate na PUC-SP reúne estudantes para discutir uma saída para a crise econômica

No dia 22 de outubro ocorreu o debate "Neoliberalismo, capitalismo. Quem agoniza?", organizado pela LER-QI, onde estudantes e trabalhadores se reuniram para discutir a crise econômica, as perspectivas da situação internacional, e a necessidade de uma saída da juventude e dos trabalhadores ao presente cenário.

CRISE ECONÔMICA

Debate sobre a crise econômica na Fundação Santo André

Por: LER-QI ABC Paulista No dia 23 de outubro, por iniciativa de militantes da LER-QI e do PSTU, realizamos o primeiro debate entre organizações de esquerda para discutir a crise econômica na Fundação Santo André, principal faculdade da região do ABC.

BALANÇO DA PLENà RIA DE ESTUDANTES DA UNESP/ FATEC

Um exemplo de como preparar os estudantes para enfrentar a crise

Por: Rafael dos Santos De 17 a 19 de outubro, em São José do Rio Preto, realizou-se uma Plenária de Estudantes da UNESP/FATEC que contou com cerca de 120 estudantes.

UNIFICAR OS COMBATIVOS PARA CONSTRUIR NOVAS ENTIDADES PARA UMA NOVA SITUAÇÃO

Por um novo movimento estudantil anti-burocrático, anti-capitalista e aliado aos trabalhadores!

Por: Tati No ano passado, o movimento estudantil brasileiro abriu uma nova fase, se enfrentando nas lutas com os governistas nas entidades estudantis. O resultado disso foi que nas eleições do fim do ano passado, os governistas foram identificados como o que são: burocratas! Os estudantes elegeram majoritariamente os que se colocam no campo da luta contra o governo, como o PSOL e o PSTU.

Nacional

ELEIÇÕES

Os reveses de Lula e do PT nas eleições municipais

Por: Daniel Matos As eleições municipais, recentemente concluídas, tiveram um resultado contraditório para Lula e o PT.

POLÊMICA

PSOL defende socorro àburguesia “produtiva†e se cala diante dos ataques aos trabalhadores

Por: Thiago Flamé A própria crise está mostrando como a política do PSOL não só é utópica como é também reacionária, pois se não por que os monopólios “produtivos†e inclusive “nacionais†da Votorantin e da Sadia teriam sofrido tantos prejuízos apostando no cassino do mercado financeiro de câmbio?

ENTREVISTA COM PABLITO, TRABALHADOR DA USP E DIRIGENTE DA LER-QI

Tudo para os capitalistas... e para os trabalhadores e o povo?

O governo tem insistido em dizer que “não vai salvar os capitalistas que apostaram no cassino das finanças†, e afirma que sua política central é “proporcionar crédito ao sistema financeiro e estimular o mercado interno†. Entretanto, suas medidas concretas não condizem muito com suas palavras.

Debates

PARTIDO

Por que lutar por um partido revolucionário junto a LER-QI?

Por: Marcelo Tupinambá A partir desta edição, o Jornal Palavra Operária inaugura essa coluna de reflexões sobre a questão mais estratégica para os marxistas revolucionários: a construção de um partido revolucionário.

Internacional

PELA EXPROPRIAÇÃO DEFINITIVA DE ZANON

Reforçamos o chamado internacional em defesa da gestão operária

Desde o dia 20 de outubro, quando venceu o prazo dado pela justiça burguesa para que os operários de Zanon produzissem sob a forma da cooperativa Fasinpat, a gestão operária está em alerta. O Sindicato Ceramista de Neuquén e os operários da fábrica Zanon, em coletiva de impressa, anunciaram no mesmo dia reforçar a sua luta em defesa da gestão operária e pela expropriação definitiva da (...)

ESTUDANTES ITALIANOS APONTAM O CAMINHO

"Não pagaremos pela sua crise"

Por: Marcelo Tupinambá O movimento estudantil italiano vem lutando há semanas contra os ataques à educação do governo direitista de Berlusconi. O movimento foi crescendo e se radicalizando na medida em que se aproximava o dia da votação do “decreto Gelmini†, que o senado aprovou no dia 29/10.

INTERNACIONAL

A crise internacional, suas perspectivas e o programa dos revolucionários

Por: Christian Castillo, PTS No sábado, 18/10, o PTS de Buenos Aires realizou uma palestra na Faculdade de Ciências Sociais da Universidade de Buenos Aires, na qual estiveram presentes mais de 600 trabalhadores e estudantes universitários, secundaristas, artistas.