Palavra Operária Nº 041

CONTATO ler-qi@palavraoperaria.org

Partido

EDITORIAL

V Conferência da Liga Estratégia Revolucionária – Quarta Internacional

Nos dias 17-18 e 24-25 de maio, se realizou a V Conferência da LER-QI, cujo objetivo central foi discutir os fundamentos e as tarefas de nossa construção. Neste editorial, desenvolvemos uma síntese de suas conclusões.

Movimento Operário

CAMPANHA EM DEFESA DOS OPERÃ RIOS DA GM

Transformar essa luta numa causa popular

Por: Jaime Caribé A Liga Estratégia Revolucionária, junto ao Movimento A Plenos Pulmões, vêm impulsionando uma campanha de solidariedade aos trabalhadores metalúrgicos da General Motors de São José dos Campos, que sofrem ameaça de redução dos direitos. Em solidariedade ativa, estamos impulsionando um abaixo assinado em diversas universidades como um pequeno exemplo da aliança operário-estudantil pela qual lutamos. Chamamos todos os militantes do movimento estudantil, as correntes de esquerda e em especial os (...)

RUMO AO I CONGRESSO DA CONLUTAS

A luta no SINTUSP pela independência de classe

Há poucas semanas os trabalhadores da USP votaram seus delegados para o congresso da Conlutas e um dos debates desse processo de eleição foi sobre o governo de Hugo Chávez na Venezuela. Fomos até a universidade conversar com Brandão sobre esse importante tema e sobre a participação dos trabalhadores da USP no congresso da Conlutas, em julho.

Nacional

NACIONAL

As contradições e fortalezas do neoliberalismo lulista

Por: Thiago Flamé Na opinião de Delfim Neto, ministro do arrocho salarial na época da Ditadura Militar, o “Lula salvou o capitalismo†. Isso por que ele teria garantido a “igualdade de oportunidades†, sem a qual esse sistema de “competição selvagem†seria inaceitável para a sociedade. É claro que esse discurso do Delfim Neto de igualdade de oportunidades não passa de uma farsa. Vejamos então os verdadeiros motivos para esse apoio tão enfático que o ex-ditador dá a (...)

Luta Negra

CURSO LIVRE NA FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ

Sociologia do Negro no Brasil

Por: Mara Onijá A partir da iniciativa dos estudantes da FSA em criar um curso livre frente ao fechamento dos cursos da FAFIL introduzimos uma discussão sobre a importância de questionar o currículo dos cursos, ao invés de somente reproduzir a grade curricular do curso oficial. Por isso, criamos uma disciplina no curso livre de Ciências Sociais: a Sociologia do Negro no Brasil.

Mulher

PELOS DIREITOS DA MULHER TRABALHADORA

Em defesa das precarizadas

Por: Diana Assunção O número de trabalhadores terceirizados em empresas privadas aumentou, somente no Estado de São Paulo, sete vezes nos últimos 20 anos. Isso significa que grande parte da classe trabalhadora está dividida entre efetivos e terceirizados. Desses novos postos de trabalho, quase metade é ocupada por mulheres.

Juventude

DEMOCRACIA NÃO SE NEGOCIA, SE IMPÕE!

Retomar a luta por um Congresso Estatuinte imposto pela força da aliança entre funcionários e estudantes na USP!

Por: Flávia Valle , Marcelo (Pablito) Santos, diretor do Sintusp A crise aberta com o veto à liberação dos funcionários para sua participação no V Congresso colocou a necessidade de superarmos a política da Adusp e do DCE, que não somente deixaram de travar uma luta efetiva contra os ataques que a reitoria vem implementando desde o fim da greve/ocupação do ano passado, mas conduziram todo o processo de construção do V Congresso de maneira totalmente (...)

ABAIXO O ATAQUE DO CONSELHO UNIVERSITÃ RIO CONTRA OS TRABALHADORES E ESTUDANTES DA USP!

É urgente uma campanha contra a repressão na USP!

A reitoria e o Conselho Universitário voltaram a expressar novamente o seu caráter reacionário! Depois da ocupação, já vinham com a política de repressão e de dividir trabalhadores e estudantes.

MOVIMENTO ESTUDANTIL

Uma jornada pouco de luta

Frente à má localização que havia ficado o DCE junto com a Adusp hasteando a bandeira da divisão e contra a aliança com os funcionários, uma ala do DCE, a APS (Ação Popular Socialista), buscou se relocalizar propondo uma “jornada de lutas†na semana de 26 a 30 de maio, que exigisse a liberação dos funcionários, mas propondo manter toda a estrutura burocrática que vinha sendo montada para o V (...)

Internacional

ESTADOS UNIDOS

Ao fim da era Bush

Por: Claudia Cinatti, PTS Com apenas três estados pendentes para realizar suas eleições primárias – Dakota do Sul, Montana e Puerto Rico – a corrida presidencial do Partido Democrata parece ter se definido a favor de Barack Obama. Até o momento conseguiu a maioria dos delegados nas eleições primárias e caucus, e também dos chamados “super-delegados†– senadores, ex-presidentes, e figuras do establishment do partido que têm poder de veto sobre o “voto popular†e que compõem aproximadamente 20% da Convenção democrata que (...)

Ideologia

SEMANA DE CIÊNCIAS SOCIAIS DA USP

Resgatar as lições vivas do Maio de 68

Por: Bernardo Andrade Na semana de 12 a 16 de maio aconteceu a Semana de Ciências Sociais organizada pelo CEUPES em parceria com a editora Boitempo. Enquanto os estudantes franceses declaravam a universidade de Paris uma “universidade autônoma e popular, aberta permanentemente, dia e noite, para todos os trabalhadores†o CEUPES escalou figurões da burocracia acadêmica, responsáveis por manter o caráter elitista e racista dessa (...)

IV INTERNACIONAL, 70 ANOS DE SUA FUNDAÇÃO

O surgimento da Oposição de Esquerda - Parte I

Por: Andrea Robles, PTS A partir desta edição do jornal, motivados por recuperar historicamente a tradição do marxismo revolucionário por ocasião dos 70 anos da fundação da IV Internacional, publicaremos uma série de artigos que busquem refletir o legado do Outubro vermelho e a sua continuidade no pensamento e ação política de León Trotsky. Publicamos uma versão do artigo de Andrea Robles, do CEIP - Argentina, centro de estudos ligado ao PTS e a nossa corrente internacional, que busca refletir as algumas das condições (...)

QUANDO OS OPERà RIOS TOMARAM O CINEMA EM SUAS MÃOS

O maio francês operário de 68 através dos filmes do grupo Medvedkine

Desde seu nascimento o cinema se desenvolve em meio a grandes tensões que cruzam nossa época. Arte ou mercadoria, entretenimento ou aporte cultural, em cada momento, e em cada capítulo da luta de classes, o cinema debateu seu lugar na história.

TESES FUNDACIONAIS

As lições do último ascenso operário e a construção do partido revolucionário hoje

Por: Edison Salles Na forma de uma entrevista (revista Estratégia Internacional – Brasil nº3), e de um folheto de próxima aparição, apresentamos à vanguarda operária, estudantil e popular algumas conclusões fundamentais sobre o último grande ascenso revolucionário brasileiro, de 1978 a 1980. São primeiras conclusões, que por sua fecundidade ganharão ainda diversos novos desenvolvimentos, mas que já lançam uma nova luz à grande questão: como preparar-se para o próximo ascenso revolucionário das massas no (...)