Palavra Operária Nº 031

CONTATO ler-qi@palavraoperaria.org

Nacional

Uma estratégia revolucionária para o campo brasileiro

Por: Daniela Jinkings A luta pela reforma agrária no Brasil, que teve seus primeiros contornos a partir da década de cinqüenta, com o surgimento das Ligas Camponesas, tem hoje como expoente mais conhecido o MST (Movimento dos Trabalhadores Sem-terras).

A greve do Incra na mira de Lula

Por: Daniela Jinkings No último dia 21 de maio teve início uma greve nacional dos trabalhadores do INCRA. Esse instituto é um órgão sui generis do Estado brasileiro, que só foi criado e existe até hoje porque no Brasil, desde a década de 50 existiu um forte movimento de luta pela reforma agrária, que protagonizou enormes lutas camponesas durante o ascenso dos anos 60, obrigando o Estado a criar uma política de concessões permanentes aos camponeses pobres, como forma de conter as explosões desse setor social oprimido (...)

Não ao PAC da segurança!

Abaixo a violência contra negros e pobres!

Por: Guto Rivera A questão da violência urbana segue com tudo dentre aqueles problemas de maior destaque no país. O governo federal, e os estaduais, tentam resolver da maneira mais reacionária como não poderiam deixar de fazer, de acordo com os interesses de classe da burguesia.

Dissolução da polícia, uma questão vital para os trabalhadores!

Por: Guto Rivera Em meio ao ressurgir da luta de setores importantes do proletariado brasileiro, à exemplo dos funcionários públicos, desde a greve das universidades federais e de órgãos públicos, como o IBAMA, surge uma questão importantíssima para as organizações que se colocam no campo da esquerda classista e combativa: A questão da repressão e do papel da polícia.

Exigir da CUT e da Força Sindical

Organizar uma greve nacional do funcionalismo público para derrotar os ataques do governo

Por: Rodrigo Manne Há um processo de greves em vários estados do país, concentrados no funcionalismo público. Ibama, Incra, Minc, DataSus e mais de 30 universidades federais estão paradas em todo o país. Além dos federais, professores estaduais do Ceará, Acre, Bahia, entre outros, servidores do Maranhão, da Saúde em São Paulo, municipais em Fortaleza também estão em greve.

Transformar a greve das estaduais paulistas num bastião da luta de todo o funcionalismo público!

Por: Marcelo (Pablito) Santos, diretor do Sintusp Nos últimos meses vem ocorrendo no país vários processos de luta de distintos setores. Porém, o movimento de massas ainda não conseguiu impor uma derrota importante à burguesia suficiente para mudar a correlação de forças a nosso favor, mas a greve das estaduais paulistas coloca essa possibilidade.

Universidades estaduais paulistas

A greve na encruzilhada

Os sucessivos escândalos de corrupção, a perda de legitimidade do PT, que passou a ser visto como um partido igual aos outros, tudo isso fortalece e aprofunda uma crise de legitimidade que atinge as principais instituições do regime.

Movimento Operário

Sintomas de recomposição do movimento operário e a luta pela independência de classe

Por: Rodrigo Manne No dia 1º de junho último, a maioria dos operários da CSN (Companhia Siderurgica Nacional) votou entrar mais uma vez em greve por reivindicações salariais. A votação foi dividida e realizada em urna para impedir a repressão aos operários.

Debate com o PSTU

O sindicato deve preparar uma luta séria pela defesa dos empregos

Por: Jaime Caribé Em abril escrevemos um artigo “PSTU aceita flexibilizar a jornada de trabalho na LG Philips†onde opinávamos que “os sindicatos combativos não podem aceitar qualquer acordo que retire ou flexibilize direitos†e criticávamos a direção sindical do PSTU afirmando que “a luta na LG Philips não foi levada como parte da luta de toda a classe trabalhadora contra as medidas de flexibilização da patronal e do governo†, deixando-a (...)

A visita de Natalio “Chicho†dirigente do PTS e operário de Zanon

Por: Felipe Corrêa Em meados de maio recebemos a visita do companheiro Natalio “Chicho†, dirigente do PTS e operário de Zanon. Foi convidado pela LER-QI, para intercambiar com nossa militancia e com o movimento estudiantil, a rica experiência vivida com a ocupação e a colocação para produzir da fábrica Zanon, que constitui sem duvida um exemplo a nivel nacional e internacional, vivido por ele como operário (...)

Para derrotar os empresários e seus políticos

Os trabalhadores precisam de um partido próprio

Por: Thiago Flamé Uma das maiores economias do mundo e um dos países mais ricos em recursos naturais, o Brasil (que junto com a Rússia, à ndia e China, conforma o BRIC, os novos destaques da economia mundial) é o pais das desigualdades, um dos que tem mais pobres na América Latina, um pais onde a diferença entre um punhado dos mais ricos e a maioria dos mais pobres segue sendo gigantesca. A sociedade capitalista no Brasil mostra claramente sua (...)

Uma proposta aos trabalhadores da Conlutas

É preciso abrir entre os trabalhadores a discussão sobre a necessidade de um novo partido operário

Por: Thiago Flamé Contra a reforma da previdência de Lula, em 2003, o funcionalismo se levantou numa grande greve nacional, que foi derrotada graças à política do governo, aplicada pelo PT e pela CUT, de separar os trabalhadores estatais do conjunto da classe.

Juventude

Impor Congressos Estatuintes em todas as Universidades

Por: Marília Rocha Precisamos partir da luta aberta contra a política do Serra para transformar radicalmente a universidade, democratizá-la e minar o controle da burocracia acadêmica, que é a correia de transmissão da política do governo na universidade.

Por um Comando Geral de Greve

Por: Flávia Valle Estamos discutindo com todos os ativistas da greve que para derrotar os ataques do governo e das reitorias é necessário um organismo que seja capaz de mobilizar e expressar o poder de decisão de dezenas de milhares dos três setores das três estaduais.

Pela revogação imediata de todos os decretos!

Por: Rafael Del O “Decreto declaratório†publicado quarta-feira, dia 30 de maio, por Serra, além de não ter força de lei (pois é meramente uma “interpretação†da lei) nem mesmo retorna às condições da autonomia de gestão financeira da universidade à situação em que se encontrava antes dos decretos.

Estaduais paulistas votam Comando Estadual de Greve com delegados de base

Impulsionar a auto-organização e a aliança operário-estudantil para organizar uma luta histórica

Por: Marcelo Tupinambá O Encontro de Públicas, que reuniu no dia 06 de junho mais de 600 estudantes da USP, UNESP, Unicamp e Fatec, se configura como um novo impulso para o movimento estudantil, que tem na greve com ocupação de reitoria da USP o seu centro.

Entrevista com estudantes da UFAL

Publicamos abaixo entrevista com Davi, do grupo estudantil “Além do Mito...†de Alagoas, que participou ativamente da ocupação da reitoria da Ufal. A ocupação na Ufal, que terminou nos últimos dias com a conquista dos pontos mais importantes da pauta de reivindicações dos estudantes é mais uma mostra de que o movimento estudantil começa a se colocar de pé em algumas partes do país.

História do Movimento Estudantil

1968 e o Movimento Estudantil no Brasil

Por: Edison Salles , Luis Siebel O presente artigo é uma contribuição para a tarefa de recuperar a memória de fenômenos históricos nos quais o movimento estudantil cumpriu um papel protagonista no cenário da luta de classes no Brasil.

A luta de classes no ano 1968 e o movimento estudantil

Por: Daniel Matos , Edison Salles , Luis Siebel Como é possível compreender a irrupção do movimento estudantil em todo o mundo no ano de 1968? Em primeiro lugar, não é, embora boa parte de seu imaginário assim o coloque, simplesmente um marco da irrupção dos estudantes no cenário político nacional de um sem número de países, especialmente nas barricadas de Nanterre, ocupações de universidades e nas portas de fábrica francesas.

Considerações sobre a questão do pacto operário universitário

Por: Daniel Matos , Edison Salles , Luis Siebel O Pacto Operário-Universitário, em seus distintos níveis, está intimamente ligado à dinâmica da luta de classes, e à capacidade dos setores mais combativos de estudantes, trabalhadores e professores, em cada universidade, conseguirem conquistar posições na estrutura de poder das mesmas, ligando-as totalmente ou parcialmente como instituições ao movimento operário e suas lutas.

A experiência de 10 meses de greve estudantil mexicana nos anos de 1999 e 2000

México: “Ultras†e “moderados†na greve da UNAM

Contra esta ocupação tem se revitalizado um importante movimento democrático com a realização de assembléias massivas em muitas faculdades e escolas, e uma mobilização de mais de 20.000 estudantes, acadêmicos e trabalhadores universitários de 19 de abril, um dia antes de fazer um ano do início da greve.

Manifesto Contra Corriente

Retomar as lições da greve da UNAM E lutar hoje pela auto-organização independente do movimento estudantil

A greve dos anos 85/86 na UNAM enfrentou as reformas elitizadoras que o reitor Jorge Carpizo quis impor. Com a cumplicidade da maioria dos dirigentes do Conselho Estudantil Universitário (CEU) a reitoria da UNAM desativou e levou a greve a um Congresso preparado nos bastidores que se realizou 3 anos depois (!), e serviu para acabar com as reivindicações estudantis.

Internacional

NOVOS CONFLITOS

Cresce a instabilidade no Oriente Médio

Por: Juan Chingo Apesar da formação de um governo de coalizão entre o Hamas e o Fatah no último 17 de março, o acordo alcançado com o aval da Arábia Saudita, gerou os mais duros enfrentamentos nas duas últimas décadas entre essas duas frações palestinas.

Declaração da Juventud de Izquierda Revolucionaria

Diante da medida de Chavez contra a RCTV e as mobilizações da reação interna pró-imperialista

Por: LTS, Venezuela Após o anúncio da parte do governo de Chavez de não renovar a concessão da RCTV, nos últimos dias ocorreu uma série de mobilizações a favor e contra as medidas governamentais. A direita reacionária, ligada ao imperialismo norte-americano, convocou várias mobilizações em diversas partes do país sob a falsa bandeira da liberdade de expressão.

Debates

Caso RCTV Venezuela

PSTU se alinha com Chavez... e fica contra Trotsky

Por: Jaime Caribé O caso da RCTV, na Venezuela, em que Chavez não renovou a concessão da empresa de comunicação repercutiu em vários países. Aqui no Brasil, há posicionamentos de todo tipo. Todos falam em defesa das liberdades de imprensa e expressão.