Palavra Operária Nº 003

CONTATO ler-qi@palavraoperaria.org

Nacional

Submissão ao FMI aprofunda recessão e desemprego

Em 11 de junho, os trabalhadores do setor público realizaram uma importante manifestação em Brasília, com mais de 25 mil trabalhadores. Ameaçam fazer uma greve geral da categoria no dia 8 de julho e até discutem a criação de uma nova central sindical por fora da CUT. Intelectuais historicamente ligados ao PT se manifestam contra a reforma da Previdência e contra a política econômica do governo, enquanto a crise no próprio PT pelo descontentamento de suas alas de esquerda (...)

Contra as medidas do governo Lula - Alencar

Os trabalhadores começam a lutar

Por: Alberto Aguirre O descontentamento de setores das classes oprimidas do país começa a se manifestar frente à nova situação gerada pela orientação à direita do governo, e o não cumprimento das mudanças esperadas pelo povo.

Balanço do VIII Concut

Venceu a estratégia governista na CUT

Por: Jaime Caribé Desde a abertura, a direção majoritária da CUT controlou o Congresso para impor sua estratégia de defesa do governo e do programa em aliança com a burguesia nacional e setores do imperialismo, que exige a aplicação das reformas pendentes (principalmente as que atacam os trabalhadores, como a da previdência e a trabalhista) e o cumprimento de acordos com o FMI.

Todo apoio àgreve nacional do funcionalismo

Por: Jaime Caribé Unir e coordenar milhares de trabalhadores e ativistas, transformando os sindicatos e entidades em comitês de apoio e preparação da greve nacional do funcionalismo público contra a reforma da Previdência, em 8 de julho.

A luta pela independência de classe

Uma discussão com a esquerda do PT

Por: Basílio Abramo O forte giro à direita no governo de Lula, com profundas medidas monetaristas e fiscais, de intensidade similar ao período do governo anterior, e o avanço nas reformas capitalistas não completadas por FHC, têm levado a que uma série de parlamentares da chamada "ala esquerda" do PT faça soar sua voz dissonante contra tais medidas.

48º Congresso da UNE

UNE governista e mais burocrática

Por: Daniela Jinkings , Thiago Flamé O 48º Congresso da UNE, encerrado no dia 22 de junho, no ginásio do Serra Dourada em Goiânia, a exemplo do que já havia acontecido na CUT semanas antes, foi palco, como já era previsto, de mais uma vitória do governo Lula, que procura reafirmar seu controle sobre as entidades do movimento operário, estudantil e popular.

Internacional

Peru

Luta dos trabalhadores convulsiona o Peru

Por: Eduardo Molina Desde princípios de maio o Peru foi comovido por uma ampla onda de lutas. O Governo de Toledo contestou com o "estado de emergência" e entregando o "controle interno" à s Forças Armadas, mas ainda que alguns dos conflitos mais importantes, como o dos agricultores, tenham sido suspensos, a com-bativa greve do magistério e diversos protestos continuaram, desafiando a repressão apesar de um morto e centenas de feridos e (...)

França

Trabalhadores da França lutam contra reforma de Chirac

Por: Carlos Santoro, FT-Europa "A vida no século XXI será uma vida feliz (...). Não há saída: há de se trabalhar mais e melhor se quisermos manter nossos direitos sociais e nossa posição no mundo". (François Fillon, ministro do Trabalho e da Previdência da França)

Um "mapa de paz" contra a resistência na Palestina

Por: Basílio Abramo Nem havia ainda secado a tinta do novo "plano de paz" para o conflito palestino-israelense, quando uma nova escalada de recrudescimento do conflito ameaça mandá-lo pelos ares.

As contradições imperialistas no Oriente Médio

Por: Basílio Abramo A ocupação militar no Iraque pela coligação imperialista anglo norte-americana tem mostrado todas as contradições de uma região convulsionada que longe está de ser pacificada.

Juventude

Surge uma Corrente Marxista Universitária em Ação

Por: Simone Ishibashi , Thiago Flamé A CO.M.UN.A. (COrrente Marxista UNiversitária em Ação), corrente que lançamos agora após meses de discussão com jovens de diversas universidades, se insere na realidade nacional e internacional e em suas contradições como um pólo da juventude que se coloca na linha de frente da luta revolucionária.

Movimento Hip Hop

O grito da juventude tem que continuar independente

Por: Mara Onijá O capitalismo, não satisfeito em submeter a condições de escravidão milhões de trabalhadores no mundo inteiro, super explora ainda mais o povo preto e a juventude, impondo salários ainda menores, empregos precários e um nível de desemprego ainda mais gritante.

Denúncias

Escrevem os jovens trabalhadores

"As empresas estão indo embora para o interior devido o baixo custo da mão de obra, ou seja, mão de obra barata, isenção de impostos e sendo assim gerando maiores lucros para o capitalista. Com essa intenção ele visa o seu enriquecimento e conseqüentemente trazendo o empobrecimento da classe operária."