Movimento Operário

VOTO CRÃ TICO NA CHAPA 1 NO SINDIPETRO-RJ

Os trabalhadores precisam de um sindicato combativo, classista e independente da empresa

19 Apr 2014   |   comentários

Nos próximos dias ocorrerá a eleição do Sindipetro-RJ, um dos maiores sindicatos petroleiros do país. Nesta eleição os trabalhadores poderão votar entre uma chapa ligada a Dilma, Graça Foster, aos diretores e gerentes (Chapa 2) e uma chapa que é independente do governo e da empresa (chapa 1) e, com algumas renovações, é a continuidade da atual gestão do (...)

Nos próximos dias ocorrerá a eleição do Sindipetro-RJ, um dos maiores sindicatos petroleiros do país. Nesta eleição os trabalhadores poderão votar entre uma chapa ligada a Dilma, Graça Foster, aos diretores e gerentes (Chapa 2) e uma chapa que é independente do governo e da empresa (chapa 1) e, com algumas renovações, é a continuidade da atual gestão do sindicato.

Em meio aos escândalos de corrupção que tem sido noticiados, com a continuada precarização do trabalho próprio e terceirizado com cortes de gastos, com o aumento dos acidentes e incidentes graves com a Petrobrás cortando gastos em manutenção, os trabalhadores precisam tomar um lado claro.

De um lado está uma chapa que é um agente do governo e da direção da empresa em meio ao movimento sindical. A chapa 2, da FUP, é a chapa que não quer que este roubo do patrimônio dos trabalhadores brasileiros seja investigado, é a chapa que volta e meia coloca algum de seus diretores sindicais como gerentes e assessores da presidência (como recentemente fez o Sindipetro-Caxias com um diretor da Transpetro que virou assessor do Presidente Sérgio Machado), é a chapa que defende o regramento da PLR e tantas outras medidas que servem ao governo e grandes acionistas e não aos trabalhadores. A condução dos sindicatos da FUP é completamente burocrática, a direção da FUP que decide quando uma greve termina, sem acontecer sequer assembleias nas bases. São um sindicalismo como os gerentes gostam!
Por isto dizemos claramente: é preciso derrotar a FUP e a chapa 2!

Por um sindicato independente do governo e da empresa votaremos: CHAPA 1!

Precisamos de um sindicato independente da empresa e do governo, por isto votaremos na chapa 1.

Acreditamos que para realmente derrotarmos a FUP é preciso muito mais que votar na Chapa 1. Precisamos inaugurar um movimento sindical que lute por igualdade de condições de trabalho e direitos para os centenas de milhares de terceirizados, que lute ativamente contra os acidentes de trabalho e sucateamento da empresa, que lute para que todos os recursos naturais sirvam aos interesses da maioria, através do controle pelos trabalhadores deste recurso estratégico.

Apesar de acordos programáticos em algumas questões, um grande limite que vemos na Chapa 1, são as práticas burocráticas que impedem, muitas vezes, que estes programa seja levado até base. Diretores liberados de trabalhar há muitos anos, além de ações individuais descolada da discussão com o conjunto dos trabalhadores faz com que não se tenha uma verdadeira discussão e avanço da consciência de classe, assim como não ajuda a formar novos dirigentes.

Isso, ao longo do tempo, desgastou bastante a relação da base com a chapa atual, porém acreditamos que somente com a participação ativa e crítica de todos nós poderemos reverter essa situação.
A chapa 1 defende a formação de uma comissão de representantes das bases. Achamos isto um passo adiante, é preciso organizar os trabalhadores desde cada local de trabalho, do TABG, do CENPES, do CNCO, etc, porém achamos que é necessário que nos apoiemos neste passo da Chapa 1 para construir algo muito mais amplo, que não se resuma àeleição de uma pessoa por local, mas a criação, conforme a possibilidade de verdadeiras comissões por locais de trabalho, que organize todos os setores e inclusive se abra a receber e contribuir na organização dos terceirizados.

Lutamos também que para que o programa de Petrobras estatizada, sobre controle dos trabalhadores e a serviço da população saia do papel! Para isso precisamos discutir e entender que o único caminho é a expropriação sem indenização das multinacionais do petróleo e a expropriação dos bancos e grandes acionistas privados. Somente nas mãos do Estado e através do controle dos trabalhadores está empresa será capaz servir aos interesses da maioria da população. Vemos que nas mãos das multinacionais por um lado, ou de diretores políticos, os recursos do país seguirão servindo ao lucro de poucos e deixando atrás acidentes de trabalho e ambientais.

Outro motivo de nosso voto crítico na chapa 1, são suas limitações programáticas em relação àterceirização. Entendemos que a terceirização divide os trabalhadores, precisamos nos unir. Para isto é preciso que cada trabalhador próprio veja no terceirizado um irmão de classe para lutarmos juntos, e não “um ser inferior†. O programa da Chapa 1 de “fim da terceirização, pela “primarização†, ao nosso ver, leva a continuidade desta divisão, pois é o mesmo que dizer que defendemos a demissão de cerca de 400 mil terceirizados. Nós defendemos a união de todos trabalhadores, por isto defendemos que lutemos por iguais direitos aos terceirizados (desde mesmos locais para comer, mesmas folgas e turnos) e precisamos ir avançando um debate na categoria e entre terceirizados: como lutar por sua incorporação àPetrobrás sem concurso.

Contra a FUP e sindicatos atrelados ao governo e a empresa, contra a entrega dos recursos naturais votemos chapa 1!

Artigos relacionados: Movimento Operário , Rio de Janeiro









  • Não há comentários para este artigo