Internacional

PROJETO NO CONGRESSO NACIONAL

Nicolás Del Caño: "Que os deputados e funcionários ganhem o mesmo que uma professora"

27 Feb 2014   |   comentários

Nicolás del Caño, deputado nacional do PTS na Frente de Esquerda, anunciou hoje que já elaborou um anteprojeto de lei que propõe igualar o salário de todos os legisladores nacionais e funcionários políticos com o salário que recebe uma professora.

Nicolás del Caño, deputado nacional do PTS na Frente de Esquerda, anunciou hoje que já elaborou um anteprojeto de lei que propõe igualar o salário de todos os legisladores nacionais e funcionários políticos com o salário que recebe uma professora.

Há algumas semanas Del Caño anunciou que “não aceitaríamos os cinquenta mil pesos que recebem os deputados e que cobraria 8.500 pesos mensais, o cálculo do que custava uma cesta básica familiar em dezembro, destinando o restante dos ingressos àcausa do povo trabalhador†. A respeito, o deputado por Mendoza anunciou que “elaboramos o anteprojeto e já o colocamos àconsideração dos trabalhadores e trabalhadoras da educação, sindicatos, confederações, seccionais e agrupações docentes de todo o país. Queremos que o anteprojeto conte com contribuições e sugestões, já que nos propomos apresentá-lo em março, junto a nossos companheiros da FIT, quando começarem as sessões ordinárias. Já recebemos numerosos aportes e mostras de apoio de todo o país†.

Da mesma forma, Del Caño assinalou que “o anteprojeto propõe que todos os legisladores nacionais e funcionários políticos ganhem o mesmo que um/a docente que trabalha 36 horas de cátedra com vinte anos de carreira na província de Mendoza, hoje $ 9.300 pesos. Qualquer atualização salarial dos legisladores e funcionários políticos deverá estar atada àdos docentes. O sentido deste projeto é político. É uma forma de denunciar que um grupo especial de dezenas de milhares de pessoas vive com altos privilégios para legislar e gerir a favor dos interesses dos grandes capitalistas. São uma espécie de gerentes dos interesses dos patrões e dos banqueiros, e recebem seu pagamento pelos serviços prestados para seguir votando leis contra o povo, como a entrega de Chevron, as leis antiterroristas, as leis de flexibilização do trabalho, das ART [regulação do trabalho, prejudicando as condições de vida dos trabalhadores] ou o pagamento da dívida externa aos fundos abutres†.

“Pelo contrário, nossa bancada está posta a serviço de todas ações de luta que empreendam os trabalhadores para frear a armadilha do teto salarial que querem impor o governo, a burocracia sindical e as patronais, enquanto que a maioria dos trabalhadores tem de lutar dia a dia contra a inflação, os baixos salários, o ajuste, os pacotes de tarifas, a precarização do trabalho, e agora também contra as demissões e suspensões†, finalizou Del Caño. O projeto será apresentado nas primeiras semanas de março para seu tratamento nas sessões ordinárias da Câmara dos Deputados.â€

Artigos relacionados: Internacional









  • Não há comentários para este artigo