Movimento Operário

IMPORTANTE ATO NA MERCEDES BENZ DE SÃO BERNARDO DO CAMPO

Nenhuma Família na Rua!

09 Jan 2015   |   comentários

Hoje pela manhã se realizou na portaria da fabrica da Mercedes Benz São Bernardo do Campo, um importante ato contra a demissão de duas centenas de trabalhadores dessa planta de caminhões e ônibus.

Hoje pela manhã se realizou na portaria da fabrica da Mercedes Benz São Bernardo do Campo, um importante ato contra a demissão de duas centenas de trabalhadores dessa planta de caminhões e ônibus.

O ato demonstrou mais uma vez que apesar do sindicato, existe disposição de sair em uma luta mais efetiva. Diferente da Volkswagen, que se encontra paralisada, a Mercedes realizou um dia de paralização com grande adesão na segunda feira e hoje um ato que contou com boa participação dos operários.

Dizemos que é apesar do sindicato, porque esse faz tempo que joga contra os trabalhadores. Os metalúrgicos do ABC foram os primeiros que assinaram, ainda nos anos 1990, um acordo que previa banco de horas e câmara setorial. Passadas duas décadas podemos dizer que o balanço dessa politica imposta pela burguesia com total respaldo do sindicato, foi um desastre, hoje a categoria dos metalúrgicos esta reduzida em uns 25% do que era nos anos 90.

É essa politica que segue sendo implementada pelo sindicato no atual conflito. Os atuais demitidos se encontravam em Layoff, ou seja, não estavam trabalhando, e em troca de fazer cursos de reciclagem, como se fossem lixo, recebiam parcialmente o salario, esse salario parcial era dividido entre a patronal e o FAT- Fundo de Amparo ao Trabalhador (dinheiro do FGTS) , toda a reivindicação do sindicato consiste em prolongar esse Layoff até abril. No fim do ato, como também já é costumeiro, a Comissão Interna da Fabrica anunciou que a fabrica “acabou de ligar chamando para negociar†.

O Movimento Nossa Classe, bem como a Juventude às Ruas, esteve presente, como tem feito desde o primeiro dia dessa importantíssima luta levando a solidariedade de classe. Ausência total a assinalar foi a CSPConlutas e a Intersidical bem como os principais partidos que dirigem essas centrais, ou seja, PSTU e PSOL. Insistimos que essas correntes bem como as subsedes da Apeoesp, da região dirigidas pela esquerda, isto é, Santo André (Espaço Socialista) e São Bernardo (PSOL e minoritariamente PSTU) revejam sua total ausência na luta, para que possamos juntos organizar a solidariedade de classe.

Fotos do ato e do bloco do Movimento Nossa Classe e da Juventude às Ruas




Artigos relacionados: Movimento Operário , ABC Paulista









  • Não há comentários para este artigo