Internacional

COMEÇARAM OS ATOS DE HOMENAGEM A LEON TROTSKY

México: lançamento das “Obras Escolhidas†na Casa Museu León Trotsky com Esteban Volkov

24 Aug 2012   |   comentários

Na tarde de 21/8 sob um céu chuvoso, o Museu Casa Leon Trotsky abriu generosamente suas portas para a apresentação do livro Stalin - O Grande Organizador de Derrotas. Cerca de uma centena de pessoas participaram do evento, que ressaltou a presença de jovens. A apresentação foi aberta por José Antonio de León, diretor da Casa Museu, que explicou as razões desta instituição participar da coedição do livro: "O Museu mantém seus vínculos com a vida de Trotsky através de suas derivações chamadas trotskismo, seja pela expressão impressa de seu pensamento, seja pelos problemas em torno a sua biografia. O CEIP há muitos anos mantém um vínculo quase pessoal com Esteban Volkov, o neto de Leon Trotsky, o que propiciou que no museu estejamos a par de sua edições; sempre houve um apreço por este editorial (...)".

Em seguida intervieram Esteban Volkov, neto de Trotsky, que contribuiu com generosos aportes para sustentar o trabalho do CEIP: "nós que não aceitamos a vida eterna, pelo contrário cremos na imortalidade das ideias. Leon Trotsky foi de uma mente tão ativa e profunda em suas análises, teses, consignas políticas, que nos legou um inesgotável arsenal de ideologia e teoria marxista (...). Na última mensagem de Leon Trotsky ao camarada Joe Hansen: "Estou seguro do triunfo da Quarta Internacional. Adiante!" é um prognóstico que ainda não se cumpriu. Frente a tantas correntes que buscam se diferenciar e só se desagregam, é necessário buscar coincidências para se unir. Este é o dever e é ainda a tarefa por realizar para os camaradas que lutam com o exemplo e as ideias dos grandes revolucionarios Leon Trotsky".
Por último, falou Pablo Opinari, representante do CEIP no México.

Primeiro narrou brevemente a história de Stalin - O Grande Organizador de Derrotas no marco da dura luta política de Trotsky àfrente da Oposição de Esquerda ante o VI Congresso da Internacional Comunista, para assinalar em seguida os grandes aportes do fundador da IV Internacional àreflexão sobre estratégia e tática do marxismo revolucionário na época imperialista. Fechou sua fala com estas palavras: "Pensando na juventude que emerge na Praça Tahrir, nas ruas de Santiago, no Zócalo, é essencial aprofundar na tradição de Trotsky, em seu legado teórico e sua vida militante após a revolução a revolução socialista (...) A serviço desta perspectiva é que conjuntamente com o CEIP e o Museu Casa de Leon Trotsky apresentamos hoje estas Obras Escolhidas".

A partir do auditório Alberto Fernández - filho d4e Octavio Fernandéz, um dos fundadores do trotskismo no México, também saudou o evento:"Com o assassinato com o golpe de picareta, Stalin quis matar as ideias de Trotsky. Porém, hoje se demonstra que não conseguiu (...)". Foram lidos também calorosas saudações do CEIP Leon Trotsky da Argentina, e de Gabriel Garcia Higueras, historiador peruano autor do livro Trotsky no espelho da história.

Ao final se abriu para uma rodada de perguntas e se escutaram vozes debatendo o caráter do movimento #YoSoy132. A efervescência da juventude que questiona o antidemocrático regime mexicano iniciou assim um diálogo com a memória do grande revolucionário russo na casa que viveu até o final de seus dias. Talvez isso seja um prelúdio dos ecos que encontram a teoria e a prática revolucionária nos jovens que hoje saem às ruas, e buscam um caminho para acabar de vez com este sistema de exploração e opressão.

Artigos relacionados: Internacional , Teoria









  • Não há comentários para este artigo