Movimento Operário

PRIVATIZAÇÃO

Miriam Belchior Assume a Caixa reduzindo quadro de funcionários

06 Mar 2015   |   comentários

O início da privatização da CAIXA através da abertura de capital da empresa. Essa semana Miriam Belchior foi empossada como nova presidente da CAIXA e esse processo seria sua principal “missão†.

Na esteira das medidas de ajuste que o governo Dilma vem anunciando, como os cortes em pensões e no seguro desemprego, foi anunciado no fim do ano passado por Dilma, e reforçado esse ano por seu ministro da fazenda banqueiro, Joaquim Levy, o início da privatização da CAIXA através da abertura de capital da empresa. Essa semana Miriam Belchior foi empossada como nova presidente da CAIXA e esse processo seria sua principal “missão†.

Muitos eram, e ainda são, os bancários da Caixa Econômica Federal cujo espírito é o de “não pode ser verdade†. Não seria pra menos. A CUT em todo lugar que dirige os sindicatos bancários fez uma campanha fortíssima (como jamais fez para levar àfrente uma luta da categoria) para eleição de Dilma, cujo principal discurso era dizer que o PSDB privatizaria a CAIXA.

Vejam vocês que uma das primeiras coisas anunciadas pela presidência em seu novo mandato seria justamente a privatização da CAIXA. Para quem achou que era apenas um projeto distante do governo, ou um blefe mal feito, Miriam Belchior em seu primeiro dia de gestão já mostrou ao que veio. Foi anunciado um “Plano de apoio àaposentadoria†(PAA) nessa quinta-feira (26/02).

Para levar esse processo de privatização adiante, a nova presidente da CAIXA precisa deixar a empresa mais “atrativa para o mercado†e parte disso é fazer antes uma “limpeza†na empresa.

A situação do quadro funcional da CAIXA é uma calamidade. A deficiência no número de funcionários é tão grande que em alguns casos os trabalhadores executam o trabalho que deveria ser realizado por três, quatro funcionários. As filas nas agências da CAIXA, que é o banco responsável pelo pagamento dos benefícios sociais como FGTS e seguro desemprego, são enormes. São duas, três horas de espera para ser atendido, um verdadeiro descaso com a população.

Apesar do novo aumento na carteira de crédito dos bancos públicos em relação aos privados, especialmente o aumento na CAIXA, e os enormes lucros da desse banco (7,1 bilhões em 2014) nada é feito para melhorar esse quadro, ao contrário ele só se aprofunda.

O tal do novo PAA já é parte disso, e mostra que o PT e Dilma têm pressa pra privatizar a CAIXA. A conta é simples: os funcionários mais antigos têm mais direitos (que ao longo dos anos as gestões de nossos sindicatos foram entregando de mão beijada), custam mais ao banco, logo aposentam-se esses funcionários e contratam novos (quando contratam, e em menor número de preferência) com salários três, quatro, cinco vezes menores. O que vai piorar ainda mais a situação do bancário e o atendimento àpopulação, inclusive porque os funcionários mais antigos têm maior experiência o que é fundamental para o serviço.

Para os que acham que a privatização não é um problema, aqui em São Paulo o exemplo é bom. A SABESP e o PSDB podem mostrar o que acontece quando um serviço importante esta a serviço apenas dos lucros dos acionistas e não mais dos interesses da população.

Artigos relacionados: Movimento Operário









  • Não há comentários para este artigo