Teoria

EM BREVE:

Lançamento do livro Aonde Vai a França

12 May 2012   |   comentários

Editora Centelha Cultural e Editora Kirom: um livro para o nosso tempo

No outono de 2010, a França de Sarkozy foi sacudida por mobilizações de massa anti-governamentais e grevesoperárias e de funcionários públicos, além de grande intervenção dos estudantes do segundo grau.

Ali, reaparecia em cena a classe operária assumindo uma centralidade que, pela primeira vez, fazia lembrar o maio de 1968, com formato de confrontos mais clássicos entre o proletariado e a burguesia.
São novos tempos de crises e anúncio de rebeliões de massa, primaveras, greves operárias e revoluções. Nesses novos tempos que se anunciam, os textos de Trotsky publicados nesse livro ganham vida e são um manancial de ensinamentos estratégicos e programáticos. E pode-se também dizer; não poderiam ser mais clássicos.

Naquele “outono quente†francês de 2010, o fiasco do partido que se proclamava anti-capitalista, o NPA (Nouveau Parti Anticapitaliste),expunha, a céu aberto, a relevância de um estudo criterioso de textos de Trotsky, como os reunidos neste livro. Estava exposta ali a limitação crítica da concepção de partido, o NPA, que mesmo proclamando- se revolucionário, tenta unir no mesmo barco reformistas e revolucionários, e que não se ocupa de priorizar a inserção na classe operária e, menos ainda, em moldes estratégicos revolucionários.

Naquele momento como agora, nos marcos da crise estrutural do capitalismo, a resposta burguesa àcrise será a de descarregá-la nas costas e na qualidade de vida da classe trabalhadora.

Mudam as crises, mas não a resposta essencial do capital em descarrega—las sobre os trabalhadores. Mudam as crises, mas também, por outro lado, continuam de pé os elementos essenciais do debate estratégico que Trotsky formula nos textos que integram esta obra. Daí nosso empenho em trazê-la
àluz.

Estes textos foram publicados pelo próprio Trotsky, e por isso é dele o editorial destinado ao livro que saiu em 1936, em francês. É este mesmo livro que está sendo aqui publicado; nele foram apenas adicionados um texto de Trotsky e seleção de artigos da imprensa trotskista da época, ambos provenientes da coletânea organizada por Pierre Broué e também por Pierre Naville na França. Nossa fonte foi a edição
espanhola/mexicana e também a edição francesa.

Trotsky foi exilado político na França por pouco mais de dois anos (1933 a 1935), um país que já conhecia de antes de 1917. Também através da III Internacional Comunista de Lenin, ele manteve estreito contato com dirigentes operários franceses; além de, nos anos 1930, ter se ocupado de impulsionar diretamente a corrente trotskista francesa durante vários anos, forjando, também com base nela, a IV Internacional.De forma que seus escritos - como se pode observar nas suas análises da sequência de crises políticas dos anos cobertos por este livro (1934-1936) -, são de uma clarividência, agudeza e precisão jamais alcançados por outro estudioso do movimento operário contemporâneo, segundo nossa ótica.

Publicamos este livro na expectativa de que seja uma fonte de ensinamentos vivos: examinando o debate
estratégico daqueles anos “quentes†do pré-II Guerra, reatualizaremos nosso foco para a construção, hoje, da força política revolucionária que, fundida ao proletariado, àmedida em que este se ponha amplamente em movimento, possa impulsionar a revolução brasileira e internacional para o seu melhor desfecho, a vitória da classe trabalhadora.

Ao mesmo tempo, este livro foi enriquecido com um texto que procura examinar aquele “outono quente†de 2010, na França, precisamente na ótica do legado teórico de Trotsky.

Artigos relacionados: Teoria









  • Não há comentários para este artigo