Internacional

La Izquierda Diario e o combate leninista

30 Sep 2014   |   comentários

Nosso objetivo não é fazer um “portal†de esquerda mais, senão um verdadeiro diário de informação e opinião, com a perspectiva e o ponto de vista da esquerda, sobre os mais variados temas (política, economia, mundo operário, gênero&sexualidades, juventude, cultura, esportes, ideias e debates, etc.). Para desmascarar as mentiras dos poderosos e dar la voz à queles que não a têm nos meios massivos (...)

La Izquierda Diario é uma iniciativa do PTS, aberta àesquerda que está crescendo em influência política, participando nas lutas dos trabalhadores e da juventude. Hoje estamos entrando em duras batalhas que se converteram em emblemas nacionais em defensa dos postos de trabalho, como Lear e Donnelley. Enfrentando o poder político a partir das bancadas no Congresso e a suas forças repressivas e bate-paus sindicais nas ruas e na Panamericana. Defendendo a independência política dos trabalhadores frente a todas as variantes capitalistas.

Nosso objetivo não é fazer um “portal†de esquerda mais, senão um verdadeiro diário de informação e opinião, com a perspectiva e o ponto de vista da esquerda, sobre os mais variados temas (política, economia, mundo operário, gênero&sexualidades, juventude, cultura, esportes, ideias e debates, etc.). Para desmascarar as mentiras dos poderosos e dar la voz àqueles que não a têm nos meios massivos tradicionais. Apostamos a chegar às centenas de milhares que buscam uma saída pela esquerda ao fim do ciclo kirchnerista, e para isto nos lançamos àcompetição contra os grandes aparatos e corporações tanto oficialistas como opositoras, para denunciar os planos de entrega, superexploração e miséria de nossos inimigos e alentar o espírito de luta, organização e consciência dos explorados e oprimidos.
Há algumas semanas estamos produzindo o que no periodismo se conhece como os “números 0†, de prova, para terminar de ajustar o site e os conteúdos do diário. Nos últimos dias abrimos alguns dos números de prova ao público e recebemos comentários e críticas em geral muito favoráveis, tanto de trabalhadores, estudantes, como de jornalistas e intelectuais.

La Izquierda Diario contará com uma rede de correspondentes militantes em 15 países e mais de 30 cidades: México (Distrito Federal), Venezuela (Caracas), Costa Rica (San José de Costa Rica), Brasil (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Campinas), Bolívia (La Paz), Chile (Santiago de Chile, Antofagasta, Valparaíso), Uruguai (Montevidéu), Estados Unidos (Nova York, Washington), França (Paris, Mulhouse, Toulouse), Alemanha (Berlim, Munique), Inglaterra (Londres), Estado Espanhol (Madri, Barcelona, Zaragoza).

Na Argentina, tenremos correspondentes em quase todas as províncias. De Santa Cruz (Río Gallegos), Chubut (Rawson, Trelew), Neuquén (Centenario, San Martin de los Andes, Zapala), Río Negro (Viedma, Cipolletti, Bariloche, El Bolsón); La Pampa (Santa Rosa), pasando por Mendoza (Capital, San Rafael, e várias localidades), Córdoba (Capital, Río Cuarto, e várias localidades), San Luis (Capital), Salta (Capital), Tucumán (Capital), Jujuy (Capital, Ledesma), Santa Fe (Capital, Rosario, Villa Constitución), Entre Ríos (Paraná), até a província de Buenos Aires (La Plata, Bahía Blanca, Mar del Plata, Junín, e todo o conurbano bonaerense), Ciudad de Buenos Aires. E cremos que quando o diário esteja online, se somarão mais correspondentes ao longo do país.

Estaremos “no ar†a partir de 16, mas nossas produções periodísticas já irromperam na política nacional com toda sua força. As denúncias, fotos e vídeos que desmascararam o "gendarme carancho" e "o grisalho infiltrado", foram aportadas pela TvPTS, grupo audiovisual que estará integrado àLa Izquierda Diario. Produzidas no lugar dos fatos e difundidas desde o mesmo dia que ocurreram, foram as provas para develar a ação repressiva e a infiltração no protesto social da Gendarmería Nacional comandada pelo Secretário de Segurança, Sergio Berni. Também a partir Lear se pôde mostrar e denunciar a “jaula†na qual haviam prendido aos delegados ou as assembleias falsas e agressões do SMATA.

Revolucionar os meios da esquerda

Com o lançamento de La Izquierda Diario, o PTS reorganiza seu sistema de meios de una forma muito mais audaz, com a ambição de seguir avançando em direção a recriar um "leninismo do século XXI". Lênin, desde o clássico panfleto “Que fazer†, propôs que a função de um jornal na atrasada Rússia e em meio da repressão da autocracia czarista, devia ser a de um "organizador coletivo". Um instrumento para que todos os marxistas revolucionários da Rússia se expressassem com a mesma orientação política em todos os acontecimentos, batalhando por suas ideias e seu programa contra as tendências oportunistas e conciliadoras, construindo assim um partido de combate. Isto nas condições da época e do país significava um jornal que saía, como muito, uma vez por mês. Iskra (“A Centelha†) era seu nome e era redigido no estrangeiro (começou a ser publicado em dezembro do ano 1900, em Munich, Alemanha), e introduzido clandestinamente para chegar àmaior quantidade possível de operários.

Anos mais tarde, quando em 1912 começa um processo generalizado de lutas operárias (um “auge ou ascenso operário†), que se desenvolve até o estoutro da Primeira Guerra Mundial em 1914, o jornal dos bolcheviques (partidários de Lênin) se transformou em um diário, desde onde disputavam e competiam com os mencheviques (conciliadores) com o objetivo de organizar aos operários ao redor de sua orientação e programa político. “Desde 1912 até 1914, com centenas de grupos de operários, os bolcheviques editam Pravda diariamente, sofrendo dezenas de censuras e mudando de nome várias vezes para iludir as confiscações que impunha o regime czarista. Um dos nomes que toma o diário é A Verdade Operária (“La Verdad Obrera†em castelhano), de onde nós tiramos o nome de nosso jornal†[1].

Este foi o meio onde se expressou a "voz" que lutava pela formação de um partido revolucionário. A voz da tendência intransigente, não conciliadora da social-democracia russa (posteriormente passarão a chamar-se comunistas). Sem estes combates políticos, ideológicos e organizativos, a gloriosa Revolução de Outubro de 1917, muito provavelmente haveria caído sob a direção dos mencheviques que conciliavam com a burguesia liberal e houvesse sido desviada e finalmente derrotada.

Hoje em pleno século XXI, uma esquerda revolucionária como a que representa o PTS, que está travando duríssimos combates na luta de classes, que participa da Frente de Esquerda e dos Trabalhadores que teve quase 1 milhão e 300 mil votos; necessita um diário que se baseie no uso do mais avançado da técnica atual. Se a fins do siglo XIX e princípios do século XX um diário impresso (que na Rússia circulava de maneira clandestina) era o más avançado da técnica moderna, hoje ainda que não se possa desdenhar a influência que mantém a imprensa impressa; com a irrupção de outros meios como o rádio, a televisão e a internet, se pode e se deve unificar e desenvolver esses meios para a difusão das ideias e o programa da esquerda.

La Izquierda Diario integrará outros meios que viemos desenvolvendo como o canal web TvPTS, Zona Industrial, os fotógrafos de Enfoque Rojo, programas de rádio como Pateando el Tablero (Buenos Aires e Neuquén), programa de cabo como Giro a la Izquierda de Córdoba, produção escrita nos blogs, etc.
O avanço político da esquerda, expressa o desenvolvimento de um setor do movimento operário e da juventude e isto impõe o desafio de que diariamente lhes chegue a política da esquerda classista a seus computadores ou a seus celulares (de uso amplo entre os operários e jovens), com aplicaciões especiais. Não só aos militantes mas também aos simpatizantes e votantes da FIT, assim como a todos os trabalhadores e estudantes que veem como o kirchnerismo termina por abrir o caminho àdireita.

O PTS publicará simultaneamente uma tiragem massiva quinzenal (entre 15 e 20 mil exemplares) de nosso jornal impresso La Verdad Obrera, para ser trabalhado pela militância das agrupações partidárias ou aliadas em fábricas, estabelecimentos e faculdades; com o método das coletas para ajudar a sua sustentação (seguindo nisto também o "modelo" leninista).

Como é sabido, o PTS tem militantes em centenas de fábricas, estabelecimentos, faculdades e colégios. O periódico impresso servirá para o trabalho em todos esses lugares onde chega nossa militância, para a relação cara a cara e pessoalmente e a organização direta dos trabalhadores e dos estudantes.

Também hoje a página web de nosso partido recebe entre 60 mil e 90 mil visitas mensais, junto àdo PO são de longe as mais visitadas dentro da esquerda (portais como os do MST e o resto da esquerda têm muito menos visitas, como se pode observar facilmente se se baixa a barra de Alexa). Com La Izquierda Diario e com o plus de um trabalho jornalístico de maior envergadura (e tribunas abertas), queremos multiplicar esta influência que permite a web, apontando em primeiro lugar às centenas de milhares de trabalhadores e estudantes que já foram votantes e simpatizam com a FIT, para conquistar uma relação com nossas posições políticas que não se limite às campanhas eleitorais e desenvolver assim uma corrente de opinião com o objetivo também de eventualmente organizá-los.

Em outro nível, como não há prática revolucionária sem teoria revolucionária, é necessário desenvolver ferramentas teórico-políticas a partir do marxismo para a luta de ideias. Com este objetivo editamos a revista Ideas de Izquierda, uma revista marxista de política e cultura que viemos publicando há mais de um ano junto a destacados intelectuais que não formam parte de nosso partido e que têm referencia no programa e nas perspectivas da FIT. E para o mesmo objetivo, para aproximar os setores mais avançados e na forma popular mais adequada, as discussões e debates que percorrem o marxismo e a esquerda nacional e internacional; continuaremos dando impulso àpublicação de livros por parte dos editoriais do “Centro Estudios, Investigaciones y Publicaciones – León Trotsky†(CEIP) e do Instituto del Pensamiento Socialista – Karl Marx (IPS), com o objetivo da divulgação e difusão dos clássicos do marxismo. Junto com isto viemos publicando há décadas a revista teórico-política Estratégia Internacional, junto às organizações da Fração Trotskista – Quarta Internacional (http://www.ft-ci.org/), com quem fizemos um chamado (mediante um manifesto) àposta em pé de um Movimento por uma Internacional da Revolução Socialista - Quarta Internacional. A próxima conferência da FT-CI que se reunirá a princípios de 2015 em Buenos Aires, decidirá a nova forma e regularidade desta publicação.

Com este “sistema de publicações†, cremos que estamos fazendo os máximos esforços e utilizando os melhores recursos para avançar na influencia da esquerda revolucionária entre os trabalhadores e a juventude. Com a audácia que reclama o momento pelo que passa a esquerda classista em geral e nosso partido em particular. Combinado com as batalhas na luta de classes, nos combates do movimento operário e a juventude y o impulso ao internacionalismo militante (La Izquierda Diario, trará seu aporte com uma forte sessão internacional), cremos cumprir com os desafios da hora, que se sintetizam em colocar de pé um partido leninista de combate para que a classe operária possa vencer.

1 “A dialética leninista entre paciência e audácia†(Lênin e a história do Partido Bolchevique. Quarta Conferência - Parte III). La Verdad Obrera – Agosto 2006. Tomado da transcrição de uma conferência ditada por Emilio Albamonte e Christian Castillo nesse ano.

[11

Artigos relacionados: Internacional









  • Não há comentários para este artigo