Movimento Operário

Greve continua na Volks

14 Jan 2015   |   comentários

A greve da Volks marca o início de 2015, seus resultados servirão para o conjunto dos trabalhadores brasileiros que terão que se organizar para combater os ataques do governo Dilma.

Com uma assembleia muito cheia, rápida, com as primeiras gotas de chuva caindo, os trabalhadores da Volks votaram de forma unanime a continuidade da greve. Nós do Movimento Nossa Classe, que estamos prestando solidariedade ativa desde o primeiro dia, com delegações de diversas categorias, entre elas professores, bancários, trabalhadores da USP, estudantes e metroviários demitidos acompanhamos a assembleia de hoje com uma delegação de professores de Santo André.

Na primeira negociação da patronal com o sindicato, que aconteceu ontem, a Volks seguiu intransigente na manutenção das demissões. A Volkswagen segue fazendo chantagem enquanto tem seus estoques lotados! Segue dizendo que precisa demitir esses 800 e mais! Quer garantir que o governo Dilma siga com a política de isenção de impostos para as montadoras, além do que precisam manter o Lay Off, já que dessa forma o trabalhador ganha menos e é o governo que paga metade do salário. Isso é muita economia pra empresa! Além disso, quando esse trabalhador é finalmente demitido ele não tem direito ao seguro desemprego, já que a verba destinada ao seguro desemprego, serviu para pagar a metade do salário ao trabalhador enquanto estava de Lay off. Ou seja, o governo já fez sua parte! Assim, as demissões são a garantia de que a empresa continuará lucrando.

O interessante é ver que a pauta levada pelo sindicato até o governo federal atende aos mesmos interesses da patronal Volkswagen. O sindicato também pede a continuidade da isenção de impostos em troca da manutenção dos empregos. Assim, levam a frente como pauta prioritária o Programa de Proteção ao Emprego, que poderia ser viável se não fosse parte do projeto manter os lucros milionários dessas multinacionais, além disso alimenta a ilusão nos trabalhadores de que o governo pode solucionar a crise sem tocar nas grandes patronais. Já que as montadoras ameaçam demitir, devem abrir seus livros de contabilidade imediatamente e mostrem os lucros exorbitantes acumulados nos últimos anos.

Não pode ser que os trabalhadores tenham o mesmo interesse que o patrão, por isso os trabalhadores devem se organizar de forma independente da burocracia e da patronal para garantir a vitória da greve, entendendo que a burocracia pode fechar qualquer acordo para colocar todo mundo para dentro, inclusive pode voltar na negociata do fim do ano passado, que foi rejeitada pelos trabalhadores e que previa demissão de 2100 através do PDV.

A greve da Volks marca o início de 2015, seus resultados servirão para o conjunto dos trabalhadores brasileiros que terão que se organizar para combater os ataques do governo Dilma. Retomar os métodos de luta da melhor tradição do movimento operário é fundamental para barrar as demissões dos 800 da Volks, mas também para que os trabalhadores de conjunto vejam que é preciso lutar e é possível vencer!

Artigos relacionados: Movimento Operário , ABC Paulista









  • Não há comentários para este artigo