Saúde

Governo omite coliformes totais e metais pesados no abastecimento

23 Feb 2015   |   comentários

A Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (PROTESTE) verificou a presença de coliformes totais na água, em amostras coletadas nas zonas Sul e Leste, em novembro de 2014

Em meio àcrise de abastecimento no estado de São Paulo, o que se prioriza é o quanto se gasta ou se perde de água. A mídia e o Governo culpabilizam a população – pelos seus costumes – e “São Pedro†pela falta de água.

Claro que a quantidade de água gasta, pelo consumo de diversos setores, e perdida, pela falta de manutenção da infraestrutura da rede de distribuição, é relevante, mas existe um ponto fundamental que o governo estadual ignora, pois o importante é não perder os acionistas da empresa público-privada, SABESP. Essa outra questão é a qualidade da água distribuída agora no período de crise.

A qualidade da água é analisada, periodicamente, nas estações de tratamento e é determinada pela quantidade de poluentes. Quando as amostras apresentam resultados positivos para coliformes totais - indicadores da integridade do sistema de distribuição - a empresa de saneamento deve realizar ações corretivas e coleta de novas amostras em dias imediatamente sucessivos, até que revelem resultados satisfatórios. Mesmo com normatização, que é alterada ao longo dos anos, os registros da qualidade da água evidenciam um aumento na quantidade de poluentes.

No início da crise de abastecimento, a população da periferia da zona Sul de São Paulo já relatava gosto e cheiro na água1. Em função do racionamento, negado por questões políticas, a associação Brasileira de Defesa do Consumidor – PROTESTE (entidade civil sem fins lucrativos) – verificou a presença de coliformes totais na água, em amostras coletadas nas zonas Sul e Leste, em novembro de 20142. Apesar de não haver registros na Secretaria Municipal de Saúde sobre casos relativos àqualidade da água, a Coordenação de Vigilância em Saúde (Covisa) detectou a presença de metais pesados na água distribuída na capital1. Tais dados da PROTESTE e Covisa evidenciam que as análises da SABESP são puramente instrumentos políticos que não consideram as condições de vida da população, essa que não tem acesso a outras fontes de água a não ser a distribuída pelo governo, e que seus parâmetros de análise são facilmente modificados, ao longo dos anos, para evitar, realmente, a perda dos lucros dos acionistas da empresa.

A presença crescente destes poluentes, mesmo dentro dos limites impostos, influencia na saúde da população. As pessoas que residem nas áreas periféricas são as que mais sofrem, tanto com os extensos períodos de racionamento, quanto com a qualidade da água pois, não se tem um controle sobre a água distribuída pelos carros-pipa, além disso, quando o abastecimento é retomado, a água volta com altos níveis de elementos químicos utilizados para tratamento, traz, também, componentes que ficaram parados nos canos de abastecimento, contaminantes do solo, alterando a cor, o cheiro e outras propriedades da água3.

Além disso, a necessidade de acúmulo de água, para aguentar o período de estiagem, possibilita o crescimento de doenças, como: dengue, cólera, dentre outras. Pode-se verificar, também, que as zonas da capital que são mais afetadas (tanto com o racionamento quanto com a qualidade da água) são aquelas que já são abastecidas pela água da represa Billings, que tem sua qualidade totalmente questionável.

Somente a classe trabalhadora, que sabe o valor de recursos fundamentais a vida, que passa pela escassez e sofre com a qualidade da água, é que pode responder as questões geradas pela sede de lucro dos senhores do capitalismo. Com controle e gerenciamento a partir da estatização de todas as empresas que controlam as etapas da água (do planejamento para criação de reservatórios, do tratamento, da distribuição e do tratamento do esgoto), será possível garantir água em quantidade e qualidade para esta e para as futuras gerações.

1 - https://medium.com/a-conta-da-agua/alckmin-mentiu-para-dona-rute-29d85d0f4047
2 – http://www.proteste.org.br/saude/nc/noticia/proteste-constata-agua-contaminada-em-sp
3 - http://planetasustentavel.abril.com.br/blog/planeta-agua/cientistas-brasileiros-criticam-descaso-do-governo-com-alertas-sobre-crise-da-agua/?utm_source=redesabril_psustentavel&utm_medium=facebook&utm_campaign=redesabril_psustentavel_planetaagua

Artigos relacionados: São Paulo Capital , Saúde









  • Não há comentários para este artigo