Sábado 20 de Julho de 2019

Juventude

Ato unificado marca um importante passo na luta contra o elitismo, a precarização e a repressão na UNESP!

Fortalecer a mobilização rumo ao Encontro Estadual de Estudantes!

25 Apr 2009   |   comentários

Como se não bastasse o enorme filtro de classe do vestibular, os “heróicos†filhos dos trabalhadores que conseguem superar essa barreira, muitas vezes não conseguem concluir os estudos pela falta de uma política de permanência estudantil plena. Isso se agrava em universidades como a Unesp/Fatec, que é espalhada no estado de SP, sendo necessário lugar para morar, meios para se alimentar, comprar materiais didáticos, etc. Todos os anos faltam vagas na moradia estudantil, filhos das mães estudantes ficam sem direito a creches, faltam bolsas de auxílio e restaurantes universitários, entre tantos problemas. Esse cenário vem se agravando com a crise económica, já que tanto o Governo Lula quanto o de Serra estão cortando verbas do orçamento da educação para garantir os bilhões para salvar os capitalistas. Somos parte dessa luta pela permanência estudantil porque entendemos que está ligada àluta pelo acesso da maioria da população àuniversidade, e para que esta seja colocada a serviço dos trabalhadores e do povo pobre.

Ligado ao projeto elitista da reitoria da Unesp, está uma escalada repressiva aos que lutam. São diversos casos em vários campi, sendo alguns dos mais graves a ameaça de morte a professores da unidade de registro, a desocupação forçada em Presidente Prudente e a tentativa de expulsão de estudantes de Araraquara por atrasarem a matrícula (!), que deram uma resposta ofensiva e conseguiram uma primeira importante vitória fazendo a diretoria recuar.

Foi no marco dessa importante mobilização que começa a ocorrer em vários campus, que no último dia 16 houve um ato unificado em defesa dos companheiros de Prudente, que ocupavam a diretoria local naquele momento, pela permanência estudantil plena, contra o PDI e a Univesp e contra a repressão. Houve paralisação total em Marília. Rio Preto também parou e houve mobilizações e debates massivos em Rio Claro, Bauru e Prudente, para citar algumas das mais importantes.
Sem dúvida foi um passo importante na construção de uma forte mobilização nas universidades estaduais paulistas, que agora terá como um novo desafio construir o encontro estadual de estudantes nos dias XX de maio (coloca os dias do final de maio pois já foi acordado).

Artigos relacionados: Juventude









  • Não há comentários para este artigo