Internacional

BASTA DE RACISMO

Em Mauá jovens realizam intervenção por Eric Garner

19 Dec 2014   |   comentários

Nesta quarta-feira (17), cerca de 25 jovens realizaram em Mauá, no ABC Paulista, uma intervenção com duas faixas onde diziam "Eu não consigo respirar" em referência àEric Garner, homem negro de 43 anos assassinato pela polícia nos EUA por suspeita vender cigarros de maneira ilegal. Na faixa também trazia nomes de jovens negros assassinados no Brasil pela polícia como Amarildo e Cláudia Ferreira, dois casos emblemáticos do racismo escancarado no país. Na outra faixa denunciavam "Nos EUA e no Brasil a polícia mata preto e pobre todos os dias".

Numa das avenidas mais movimentadas do centro de Mauá, os jovens no intervalo do farol, erguiam as faixas e faziam performances como se fossem enforcados e depois deitavam-se no chão, simbolizando que o racismo é um problema social, onde o assassinato sistemático do povo negro é parte de uma política de Estado. Depois da performance, o grupo de manifestantes caminhou até a estação de trem cantando: "Ela injusta, ela racista, ela mata, ela é policia! É militar, GCM, exercito ou civil, recebe ordem do Estado pra matar com o fuzil".

Tanto Dilma quanto Obama são responsáveis

No Brasil, o segundo maior país de população negra do mundo e o segundo com maior população carcerária, o racismo é uma necessidade da burguesia para garantir a submissão da maioria da população. Com um discurso que cada vez mais não se sustenta de "democracia racial", os trabalhadores negros vem encampando diversas greves pelo país por melhores condições de trabalho e salario, como os garis dos Rio de Janeiro. Por isso temos que lutar contra o racismo estrutural que vivemos.

A ilusão de que uma mulher ou um negro dirigindo o Estado capitalista poderia responder às demandas mais mínimas como a sobrevivência da população negra que vive em condições de vulnerabilidade, ocupando os empregos mais precários, com moradias sem condições básicas de saúde, com pouco acesso ao ensino, caiu por terra com a multidão que tomou as ruas no coração do capitalismo norteamericano.

Nós da Juventude ÀS RUAS junto com companheiros que constroem a gestão Dandara do CA de Serviço Social da FAMA, o grupo Kilombagem, o Comitê Regional Contra o Aumento das Tarifas e outros jovens independentes estivemos presente convocando o ato em São Paulo “Ferguson é aqui†para exigir Investigação independente e punição aos assassinos e mandantes de todos os autos de resistência!

Veja todas as fotos no Facebook da Juventude ÀS RUAS: https://www.facebook.com/JuventudeAsRuas/posts/761253393951210

Artigos relacionados: Internacional , Juventude , Questão negra , Direitos Humanos , ABC Paulista









  • Não há comentários para este artigo