Terça 20 de Agosto de 2019

Movimento Operário

DEMOCRACIA OPERÃ RIA

Eleger delegados em assembléias de cada escola!

17 Mar 2010   |   comentários

Para não ficarmos como espectadores de nosso destino, temos que desenvolver a democracia nas bases, com assembléias por escola e assembléias gerais que decidam cada passo da greve. Não podemos deixar nas mãos de um grupo de dirigentes as decisões soberanas de nossa massiva categoria. Temos que exigir que sejam as assembléias gerais e em cada escola quem decidam o curso de nossa luta. As assembléias tem que servir para discutir como está e como deve ficar a greve, em cada momento. Basta também de assembléias gerais que viram atos públicos e palanque para fazer campanha contra Serra e procurar votos para Dilma. Os professores têm sim que utilizar a contradição do governador que quer se eleger presidente e precisa dos votos das classes médias e ataca os professores, mas para conquistar nossas demandas.

Temos que tomar o conflito em nossas próprias mãos, realizar assembléias nas escolas que elejam delegados ativos que levem nossas posições á frente nos comandos de greve, assembléias regionais e gerais. Que revolucionem os comandos de greve, para que não sejam somente grupos que passam nas escolas, mas que sejam realmente órgãos centralizadores dos posicionamentos políticos e ações durante a greve. Que estes comandos de greve, formados por delegados mandatados de cada escola em luta, levem as posições tiradas em assembléias regionais àassembléia geral e lutem para serem aprovadas!

Chamamos a Oposição que co-dirige a categoria, formada por PSTU e correntes de esquerda, a assumir sua responsabilidade na greve e se colocar àfrente desta tarefa de desenvolver a democracia nas bases e apresentar uma alternativa programática começando por colocar na frente a demanda elementar de efetivação de todos os professores precarizados. Do contrário, serão uma oposição impotente e dócil diante da necessidade de forjar uma verdadeira alternativa de luta para que a greve triunfe, contribuindo com a direção conciliadora da APEOESP.
A APEOESP é o principal sindicato da CUT e deveria exigir que essa central sindical coloque todos os seus recursos a favor da nossa greve. Mas a sua direção petista não faz isso e só mostra que não está disposta a levar essa luta até o final. A Conlutas, central da qual a oposição faz parte, deve dar o exemplo, chamando a unificação das oposições estaduais da Apeoesp, do Metrô, da Sabesp, junto com o Sintusp e as universidade estaduais, para lutar unificados [juntos] contra os ataques de Serra e unificar a pauta salarial.

Artigos relacionados: Movimento Operário









  • Não há comentários para este artigo