Quinta 22 de Agosto de 2019

Movimento Operário

VARIGLOG

Diante das demissões em massa, lutar pelos empregos e pela estatização

24 Apr 2008   |   comentários

Mais um drama está prestes a se repetir na vida de milhares de trabalhadores da aviação brasileira. E novamente, o tema é a crise de uma empresa aérea desferindo a demissão em massa de trabalhadores, e os protagonistas, capitalistas mafiosos brasileiros e estrangeiros que contam com o aval do governo Lula através da ANAC auxiliados pela passividade cúmplice dos sindicatos da CUT e Força Sindical (FS) para descarregar sobre as costas dos trabalhadores os prejuízos da quebra da VarigLog, maior empresa nacional de transportes de Cargas.

Como um filme que se repete há mais de uma década no Brasil, todos já vimos que o final é sempre o mesmo: se contarmos a partir da falência da Transbrasil que em 1997 trouxe a demissão de cerca de 3.000 funcionários; junto com a da Vasp que em 2000 resultou em 5.000 demitidos; a da Varig em 2006 com um total de 9.000; a recente quebra da BRA, mais de 2.000, e o desmonte “silencioso†da prestadora de serviços aéreos SATA, que já contou com 5.000 trabalhadores e que hoje são menos de mil. Somando essa brutal quantia, temos mais de 20 mil trabalhadores da aviação demitidos nas mesmas condições: a esmagadora maioria dos despedidos, mesmo os primeiros, de 10 anos atrás, além de perderem a fonte de renda de suas famílias até hoje nada receberam e esperam “uma saída da justiça†, como sempre foram aconselhados pelos sindicatos pelegos da CUT e FS.

Os trabalhadores têm que se mobilizar e lutar pela defesa dos postos de trabalho

Apesar dos Sindicatos dos Aeroviários de Guarulhos (CUT) e do Sindicato Aeroviários do estado de S. Paulo (FS) que há décadas fazem o jogo dos interesses patronais e ajudam a demitir, os trabalhadores da VarigLog de Guarulhos se auto-organizando e confiando somente em suas próprias forças, saíram em luta nos últimos dias quando a crise da empresa começava a se agravar e os atrasos dos pagamentos era imposto de maneira insuportável.

Enquanto os trabalhadores faziam grandes esforços para garantir assembléias que votassem planos de lutas frente àcrise, a Força Sindical tinha a linha reacionária chamando trabalhadores a boicotar a assembléia já que dela participavam sindicalistas da CUT, e estes últimos, burocratas governistas que são, não garantiam os planos de lutas votados contra a crise e nem os planos apresentados pelos trabalhadores para avançar na mobilização e simplesmente “desapareceram†no dia seguinte da assembléia.

Mesmo assim, foi uma inédita e histórica demonstração de força e disposição dos trabalhadores que tiveram suas reivindicações atendidas, apesar de que antes da mobilização, o discurso da patronal era de que “não havia dinheiro†. Pois o dinheiro “apareceu†e essa vitória dos trabalhadores relembrou alguns, e ensinou a maioria, que é possível se os trabalhadores organizados atuam confiando nas suas forças, apesar do discurso e da ação dos burocratas.

Agora, se trata de uma luta mais vital, que é a luta pela existência da empresa e do emprego que os capitalistas mafiosos querem rifar em troca de mais lucros. O chinês Lap Chan, representante do Matlin Patterson, já tentou sacar todo o caixa da empresa na esperança de abandoná-la assim como um abutre abandona a carcaça após se alimentar, e essa tentativa, somada ao seu histórico, já são sinais suficientes para os trabalhadores enxergarem que a saída para manter os empregos passa longe das administrações mafiosas e gananciosas dos capitalistas aéreos, sejam gringos ou brasileiros.

É pública a manifestação de interesse dos Correios em comprar a VarigLog, compra que não saiu pela própria cumplicidade que o governo Lula tem com os burgueses mafiosos por trás da Variglog que, por sua vez, dificultaram de todas as formas uma auditoria da situação financeira da empresa. Sabemos que se trata de uma questão política entre o governo e os capitalistas aéreos, e não se financeiramente é viável ou não uma empresa de transportes de Cargas estatal brasileira, pois é.

Os trabalhadores da VarigLog devem se unir em torno da manutenção do emprego e não cair na armadilha que propõem, Matlin Patterson e sindicatos, de que “melhor que a falência total, as demissões são um mal necessário†. Assim, salvar a VarigLog é uma luta legítima que traria de volta ao país o controle de uma empresa estratégica assim como salvaria mais de 2.000 postos de trabalho.

É necessário retomar o espírito de auto-organização realizando novas assembléias em todos os turnos e bases da empresa, votando um plano de lutas e uma comissão de delegados eleitos que represente os trabalhadores mobilizados. Essa comissão deveria lutar para ter acesso àsituação financeira da empresa assim como o papel de encaminhar com os Correios as informações necessárias que foram negadas pela patronal mafiosa. Juntamente com as oposições sindicais e os sindicatos dos trabalhadores dos Correios organizar reuniões conjuntas solidárias que possam exigir através da luta que o governo estatize a VarigLog, como uma empresa aérea postal e de carga incorporada pelos Correios, com gestão dos trabalhadores.

Artigos relacionados: Movimento Operário









  • Não há comentários para este artigo