Internacional

AUMENTO SALARIAL LEGISLATIVO NA ARGENTINA

Deputado da Frente de Esquerda e dos Trabalhadores (FIT), Del Caño, rechaçou o aumento dos salários do Congresso

30 Jan 2014   |   comentários

O deputado nacional pela Frente de Esquerda e dos Trabalhadores Nicolás del Caño repudiou hoje um novo aumento nas remunerações legislativas, resultando em um salário de 50 mil pesos para os deputados a partir do dia 1 de fevereiro.

O deputado nacional pela Frente de Esquerda e dos Trabalhadores Nicolás del Caño repudiou hoje um novo aumento nas remunerações legislativas, resultando em um salário de 50 mil pesos para os deputados a partir do dia 1 de fevereiro. “É uma provocação: os políticos ganham dez vezes mais do que ganha qualquer trabalhador, enquanto a inflação já consumiu 20% do salário real nos últimos três meses e o Governo e os empresários buscam colocar um teto nas datas-base para cristalizar esta perda. Tal salário elevado dos funcionários e legisladores tem como finalidade seguir governando e legislando contra os interesses dos trabalhadores, a favor dos grandes empresários, banqueiros e latifundiários†.

Del Caño anunciou que seu salário será de 8500 pesos por mês, e que o restante da renda da bancada já está sendo colocado a serviço das lutas e dos trabalhadores e setores populares, como 20 mil pesos que contribuíram em janeiro para os trabalhadores do departamento de Lavalle na província de Mendoza, numa luta que resultou na efetivação de 300 funcionários com contratos precários, e aos trabalhadores da fábrica de eletrodomésticos em Rosário Liliana SRL que lutam para aumentar seu salário mínimo.

Além disso, a partir desta banca de deputados foram compradas várias passagens aéreas para difundir a luta pela absolvição dos petroleiros de Las Heras, da província de Santa Cruz, condenados àprisão perpétua em um julgamento por lutarem contra o imposto ao salário em 2006. A contabilidade destes fundos será publicada na página do PTS (www.pts.org.ar). Ademais, Del Caño lançará em março um projeto de lei para que todo funcionário público tenha um salário similar a um professor, buscando o apoio de distintas organizações de trabalhadores para imporem esse programa.

Por fim, o deputado pela província de Mendoza, pontuou que “as próximas batalhas da classe operária serão para recuperar os níveis salariais, contra o aumento da produtividade nas fábricas e contra as demissões. Nossa banca de deputados e seus fundos estão a serviço dessas lutas.â€

Artigos relacionados: Internacional









  • Não há comentários para este artigo