Nacional

Conversa entre o voto Dilma e o voto nulo

25 Oct 2014   |   comentários

Um diálogo entre um trabalhador que cogita votar em Dilma como "mal menor" e outro trabalhador que defende o voto nulo para preparar as batalhas que teremos pela frente e apostar na organização independente da classe trabalhadora.

– Olha, não é que eu esteja contente com o governo do PT nem que eu ache que a Dilma vá resolver os problemas do país. Mas a vida do povo melhorou mais no governo do PT do que quando era o PSDB.

– É inquestionável que os governos do PT foram diferentes dos do PSDB. Mas nos temos que ver isso de um ângulo distinto do que a propaganda petista vende. Se por um lado é verdade que nos últimos anos o povo pobre melhorou de vida, por outro lado também é verdade que os ricos nunca ganharam tanto. Os patrões tiveram lucros recordes. Eles ganharam em proporções muito maiores do que nós.

– Mas ainda assim nós ganhamos mais do que na época dos tucanos.

– Porque é importante ter esse outro ponto de vista? Porque ele nos abre os olhos sobre como serão as coisas daqui para frente. Me responda a seguinte pergunta: se nos tempos de “vacas gordas†os patrões lucraram em proporções maiores do que nós melhoramos de vida, nos tempos de “vacas magras†porque essa ordem de prioridade se inverteria? Se os patrões ganharam mais quanto tinha crescimento econômico, porque agora que tem recessão a prioridade não vai ser preservar os lucros deles em detrimento de nossas condições de vida?

– Mas o PT não faz ataques neoliberais como os tucanos.

– Será? Você conhece algo mais neoliberal do que destinar 42% do orçamento público para os banqueiros? O PT continuou essa “obra†do PSDB. Senão, o que explica que tanta gente tenha saído às ruas em junho de 2014 defendendo saúde e educação “padrão FIFA†? O que explica as enchentes todos os anos?

– O que estou dizendo é que o PT não retira direitos dos trabalhadores como os tucanos fazem, que o PT não fez reformas neoliberais no Congresso como FHC vez.

– Será? Você não lembra que quando Lula assumiu em 2003 ele terminou a reforma das aposentadorias que FHC tenha iniciado, derrotando uma enorme greve dos servidores públicos que se levantaram contra isso? Você não lembra que em 2006 o Lula implementou a lei do Supersimples no Congresso, que flexibiliza os direitos dos trabalhadores nas pequenas e médias empresas? Logo após a quebra do Lehman Brothers, quando a crise mundial sacudiu o Brasil, enquanto os tucanos defendiam flexibilizar as leis trabalhistas diretamente no Congresso, o PT implementava essa mesma flexibilização fábrica por fábrica, diretamente na relação patrão-sindicato. Agora, a Dilma está propondo como grande “solução†diante da crise uma lei que amplia para um ano as suspenções de contratos de trabalho (os chamados lay-off), e facilita sua implementação para os empresários. Ou seja, agora estão propondo diretamente uma flexibilização pela via do Congresso.

– Bom, pelo menos o PT não faz privatizações como os tucanos...

– Isso é uma grande enganação. A primeira coisa que devemos nos perguntar é porque o PT não reestatizou nenhuma das privatizações feitas pelos tucanos. O PT faz toda uma propaganda de que eles não privatizaram a Petrobras. Mas os lucros dessa estatal vão em sua maioria para as mãos dos capitalistas, não só através da corrupção, mas de forma legal através dos dividendos aos acionistas privados. Nada disso mudou, e ainda por cima Dilma vendeu a maior reserva de petróleo do país, a Bacia de Libra do pré-sal. Fora as privatizações dos portos, aeroportos e rodovias, tudo feito pelo PT. Fora as chamadas PPPs (Parcerias Público-privadas), que estão por trás das grandes obras do país e garantem o enriquecimento das mega empreiteiras que empregam trabalho semiescravo com financiamento do BNDES e estão entre as principais financiadoras das campanhas do PT e do PSDB.

– O PT não carrega nas costas uma crise como a falta de abastecimento de água em São Paulo.

– Você viu a Dilma ou o PT falarem uma palavra que seja contra os lucros gigantescos que os acionistas da Sabesp receberam enquanto a população sofre com a falta de água? É puro marketing eleitoral. Sem falar os rios de dinheiro que o governo federal destinou para as geradoras e distribuidoras de luz, que logo depois das eleições já anunciaram que vão fazer nós pagarmos com o aumento de tarifas na nossa conta. É o sujo falando do mal lavado.

– É que eu tenho uns vizinhos tucanos. É insuportável. Eles parecem que têm nojo de quem é pobre. Acham que homossexualidade é doença, igual o Fidelix. Agora com a possibilidade do Aécio ganhar eles estão mais encorajados. Tenho medo que isso se fortaleça em todo o país.

– Pois é. Mas você não tem nojo do PT colocar o racista e homofóbico Marco Feliciano para presidir a Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados? Não tem nojo do Sarney continuar controlando o Congresso ao longo de todo o governo do PT? Não tem nojo do Maluf controlar a secretaria de habitação do governo do Haddad em São Paulo? E do pacto que o PT fez com os militares para montar a farsa da Comissão da Verdade impedindo que eles serem julgados e punidos pelos crimes que cometeram na ditadura?

– Mas os direitistas racistas e homofóbicos não vão se encorajar num governo tucano?

– Sim. Mas não podemos perder de vista que quando Lula foi eleitos os direitistas do país estavam debilitados pelo desgaste da ofensiva neoliberal dos anos 90. Passaram-se 12 anos de governo do PT e agora esses direitistas estão cada vez mais encorajados novamente. Isso nos deve levar àconclusão de que o PT não serve para combater os direitistas. Pelo contrário, o que nós estamos vendo é que a desilusão no PT vem dando lugar a um fenômeno de polarização social àdireita e àesquerda. Pela direita vemos o país, sob o governo do PT, bater sucessivos recordes de assassinato de homossexuais. E pela esquerda vimos muitos trabalhadores e jovens terem votado na Luciana Genro pelo enfretamento dela com Fidelix na TV. É um sintoma progressista de uma herança de junho, ainda que o PSOL não coloque seus parlamentares para mobilizar trabalhadores e jovens por essa causa. É a mobilização independente dos trabalhadores e da juventude que pode realmente enfrentar a direita.

– E se você estiver certo, para que vai servir meu voto nulo?

– Quanto mais votos tiver qualquer um dos dois candidatos, mais legitimidade terão para implementar medidas em defesa dos patrões. Quanto menos votos tiverem, mais forte estaremos para combatê-los em através de nossas campanhas, greves e manifestações. Por isso o voto nulo é muito importante. Mas só o voto nulo não basta. Precisamos desde já nos organizar para os próximos embates. O primeiro que temos pela frente é o embate da crise da água. Querem que paguemos mais essa conta. Precisamos debitá-la no lucro deles. Ao mesmo tempo em que nos organizamos para lutar, devemos desde já abrir um debate entre nós sobre que ferramenta política dos trabalhadores precisamos construir para não ficarmos reféns do “mal menor†a cada eleição. Uma ferramenta política que de fato sirva para combater os patrões, a burocracia sindical e o imperialismo.

Artigos relacionados: Nacional









  • Não há comentários para este artigo