Movimento Operário

Contra toda forma de punição às/aos lutadoras/es: imediata revogação da suspensão de 30 dias de Patrícia!

07 Aug 2010   |   comentários

Este ano os(as) trabalhadores(as) das universidades estaduais paulista protagonizaram uma dura e longa greve principalmente para manter a isonomia salarial. No campus da USP em São Paulo, onde a luta foi mais acirrada, houve ocupação da reitoria. A repressão foi constante, com corte de salários, ameaças, presença da polícia militar nos campi, etc.

Agora, quase um mês do fim da greve, a reitoria da USP suspendeu por um mês a lutadora Patrícia, trabalhadora da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), com base em acusações falsas forjadas logo depois da ocupação de 2007 (que a companheira apoiou ativamente). Conjuntamente foram desenterrados 11 inquéritos policiais contra os diretores e ativistas do Sindicato dos Trabalhadores da USP (SINTUSP) evidenciando a ligação entre as políticas da reitoria e o governo do estado. Esse é o começo das represálias que visam “disciplinar†qualquer um que se coloque em luta contra o projeto de Universidade e de sociedade que tentam nos impor. Somos contra qualquer repressão.

Pela revogação imediata da suspensão da companheira Patrícia!

Pela retirada de todos os processos contra trabalhadores, estudantes e SINTUSP!

Pelo fim da Universidade elitista!

Direção do Centro Acadêmico da Física - Rio Claro

Artigos relacionados: Movimento Operário , Juventude









  • Não há comentários para este artigo