Segunda 16 de Setembro de 2019

Debates

Chamamos a apoiar a candidatura de Mara do Hip Hop uma jovem mulher negra revolucionária!

10 Aug 2006 | Publicamos abaixo alguns trechos dos materiais que tem publicado a candidata à deputada estadual Mara do Hip Hop pela Corrente Operária do PSOL (ABC paulista) e pela Frente de Esquerda. Abrimos mais uma vez as páginas de nosso jornal para a companheira expressar suas posições frente à s eleições, pois apesar de nossas divergências, apoiamos sua candidatura que vem se apresentando como uma pequena amostra de que é possível fazer a luta de classes se expressar nas eleições e não se adaptar à estratégia e ao programa de conciliação de classes dos setores que dirigem a Frente de Esquerda.   |   comentários

Um primeiro passo importante dado pela companheira Mara foi o de “Rechaçar o apoio de Garotinho e de qualquer outro burguês†àcandidatura de Heloísa Helena em sua nota pública. Enquanto o PSTU dizia que “Inúmeras respostas foram dadas por Heloísa e outros companheiros, recusando qualquer tipo de acordo com o ex-governador. Somamo-nos a esta recusa†, Mara denunciava o “pragmatismo eleitoral†dizendo o oposto em sua nota: “A tentativa de negar importância a esse apoio veio da própria Heloisa, dizendo que se tratava de “uma declaração de voto como outra qualquer†(Estadão, 29/07). Mas não parou aí. Depois de dizer-se surpresa, afirmou que agradecia “humildemente†porque “todos os apoios são bem vindos†(Folha Online, 28/07). Seguindo o mesmo tom, o candidato a vice Cesar Benjamin disse na Folha de S. Paulo (28/07) “acolho e respeito o apoio dele†. O dirigente do PSOL e candidato a governador do Rio de Janeiro, Milton Temer, afirmou que “não haverá nenhum acordo com o pemedebista†mas esclareceu que “todo voto é bem vindo†(O Dia, 28/07). O deputado e candidato àreeleição Chico Alencar , do Rio de Janeiro, justificou com o argumento de que “se o apoio dele significa abrir uma porta para que a pequena multidão que gosta dele ouça as nossas propostas e vote nela, é muito bom†(Folha Online, 28/07) (...) Até o viés ético que a candidatura de Heloisa Helena utiliza foi deixado de lado, pois ninguém pode negar o festival de corrupção que marca a trajetória política de Garotinho (...) Ao contrário do que as declarações de Heloisa Helena e dos demais dirigentes e candidatos do PSOL querem fazer passar como coisa menor e até muito bem-vinda, este apoio de Garotinho deve ser rechaçado pública e enfaticamente†.

Nesse jornal, travamos um amplo debate sobre os processos que vem ocorrendo no movimento operário e sobre a necessidade de que esse seja o tema central nas eleições. É por isso que concordamos com Mara quando diz em seu material de campanha: “chamamos o conjunto da Frente de Esquerda a expressar a luta de classes em cada aparição pública dos candidatos. Devemos mudar o rumo que vem sendo tomado na campanha de Heloísa Helena que não coloca no centro do debate nacional os ataques capitalistas e as lutas dos trabalhadores. É necessário utilizar o espaço das eleições para impulsionar uma campanha nacional contra as demissões em massa na Volks, na GM e na Varig, além da importante luta contra a privatização da linha 4 do metró de São Paulo (...) A principal meta dos sindicatos da CUT, da Força Sindical, da Conlutas e das demais centrais sindicais deveria ser unir suas imensas forças para tomar as iniciativas urgentes e necessárias para debater e aprovar em assembléias e encontros um Plano Nacional contra as Demissões e por Emprego para Todos, definindo propostas de ações unitárias que aproveitem o momento político nacional para, com a força da luta operária, barrar as demissões e punir as empresas que demitem em massa. (...) Os candidatos da Frente de Esquerda deveriam dar o exemplo, propondo aos sindicatos que influenciam a aprovação desta campanha imediatamente, de forma a aproveitar seus horários eleitorais, comícios, materiais de campanha e, principalmente, a militância que participa apoiando as candidaturas. Os comitês eleitorais de todas as candidaturas da devem se transformar em Comitês de Ação para implementar esta Campanha nas fábricas, empresas, bairros, escolas e universidades.â€

Mara coloca o devido peso na defesa das demandas do povo negro nas eleições e defende um programa principista. Na questão das cotas, que é um dos principais debates na atual situação, estamos de acordo que: “Há muito tempo já existem as cotas nas universidades públicas: são as cotas de quase 100% para estudantes brancos! Nós defendemos o fim do vestibular e o acesso àuniversidade pública para todos. Mas enquanto não houver vagas para todos, não aceitamos que as cadeiras da universidade e a produção de conhecimento permaneçam restritas aos estudantes brancos, em sua maioria filhos da elite que domina o país. Defendemos as cotas proporcionais aos índices da população negra de cada estado: nas universidades, nos concursos públicos e no mercado de trabalho.â€

Combatendo o eleitoralismo de setores da Frente de Esquerda que acham que a luta de classes para nas eleições e tudo gira em torno do número de votos a ganhar, custe o que custar, Mara não cedeu às pressões oportunistas. É isso que se expressa quando diz que “buscaremos cada voto como um apoio efetivo a essas lutas em defesa dos interesses dos trabalhadores e contra os capitalistas. Cada voto será importante mas nosso objetivo maior é que cada um que concorde com nossas propostas se engaje como mais um lutador combativo que organize esta luta em seu local de trabalho ou estudo†.

Essas são algumas questões que nos fazem apoiar a candidatura de Mara. Seguiremos atuando junto aos companheiros da Corrente Operária que vem impulsionando uma luta séria contra as demissões e agora utilizam a campanha eleitoral para aprofundar a mesma tarefa.

Artigos relacionados: Debates , Questão negra









  • Não há comentários para este artigo