Quinta 22 de Agosto de 2019

Movimento Operário

Carta aos companheiros metroviários, ao nosso sindicato e aos trabalhadores brasileiros

15 Aug 2006   |   comentários

As condições de trabalho se deterioram na manutenção do metró: faltam mecânicos, ajudantes e eletricistas. O número de estações aumenta mas não aumenta o número de trens, fazendo com que a manutenção preventiva tenha menos tempo para trabalhar. Resultado inevitável: diversos afastamentos por problemas relacionados ao trabalho; levando a maior esforço dos que ficam... A política da empresa tem sido claramente a de precarizar cada vez mais a manutenção, faltando inclusive peças e material, fazendo com que tenhamos que “improvisar†alguns serviços com o que temos a mão. Com isso, querem levar a que os usuários se coloquem contra os “privilegiados funcionários públicos†e a favor da “eficiência do mercado†.

Como bem sabemos, estamos longe de sermos privilegiados, sendo tão explorados quanto os demais trabalhadores, mas temos o diferencial de termos conseguido, através de nossas lutas, mantido algumas conquistas. O que o Metró quer com a privatização é poder dar mais lucro às empresas que terão a “linha 4†por 30 anos, às custas dos trabalhadores, atacando nossos direitos e conquistas, atacando os usuários ’ aumentando o preço da passagem ’ e usando-os como apoio para atacar os trabalhadores, não só de todo o metró, como da “Nossa Caixa†e das poucas empresas públicas que restaram.

A eficiência de mercado significa ataque a todos os trabalhadores; é dessa forma que se aumenta o lucro ao máximo. Para termos um exemplo bem claro do que a privatização pretende, basta olharmos para as condições absurdas sob as quais nossos companheiros terceirizados trabalham: salários de fome, sem adicionais de periculosidade, sem convênio médico, demissões sob qualquer pretexto etc.

Nós, da Vala do PAT, nos colocamos absolutamente contra essa política de privatização e ataque aos direitos dos trabalhadores; defendemos um metró verdadeiramente público, onde todos tenhamos direitos iguais e o mesmo salário quando realizamos o mesmo trabalho. Achamos que a greve é o nosso meio legítimo de luta, entretanto ela deve servir para levar-nos àvitória; a greve não deve somente servir para fazermos protesto, mas para derrotarmos a privatização. Nosso sindicato deve levar essa greve àvitória, colocando matérias pagas na televisão e nos jornais, chamando todas as centrais sindicais a encampá-la, chamando as demais categorias que estão sofrendo o mesmo ataque que nós a se juntarem conosco nessa luta.

Queremos que todos os senhores que são a favor das privatizações mostrem sua cara, e os que são contra que nos apóiem realmente. Chamamos a todos os companheiros trabalhadores do metró e demais companheiros que estão sofrendo ataques como esse a se unirem conosco nessa luta. Até a vitória!

De algumas vozes da Vala-PAT

Artigos relacionados: Movimento Operário









  • Não há comentários para este artigo