Gênero e Sexualidade

Bolsonaro deveria estar preso por incitar a violência contra as mulheres

11 Dec 2014   |   comentários

Bolsonaro já deveria estar preso por ser defensor dos crimes da ditadura, inclusive crimes que usavam o estupro como métodos de tortura.

Bolsonaro já deveria estar preso por ser defensor dos crimes da ditadura, inclusive crimes que usavam o estupro como métodos de tortura. Assim como os torturadores e cúmplices da ditadura militar, que o deputado tanto reivindica em seus discursos com a certeza de que não haverá punição, agora Bolsonaro fez o absurdo de afirmar que não estupraria a deputada Maria do Rosário por que ela "não merecia".

O estupro é uma das mais perversas formas de violência às mulheres que se perpetua dentro dessa sociedade. A visão predominante machista - que enxerga a mulher como uma propriedade do homem -, aliada àexploração capitalista, só é reforçada por discursos como esse, incitando a prática de estupros, e a certeza da sua impunidade.

Bolsonaro é parte dos que apoiam a violência às mulheres também quando apoia leis como o Estatuto do Nascituro, que "obriga" as mulheres que foram estupradas a levarem adiante uma gravidez que foi fruto de uma violência; e faz o Estado financiar uma "bolsa estupro" caso o genitor não se responsabilize pelo filho. Isso é mais uma demonstração de seu reacionarismo e violência contra as mulheres.

Incitar a violência é crime, e Bolsonaro já deveria ter sido preso pelas inúmeras declarações racistas, homofóbicas e de incitação àviolência que já cometeu. Se isso ainda não ocorreu, é porque ele é protegido por ser do PP, um partido da base aliada do governo, e porque o PT quer preservar o pacto de impunidade que impede que seja feita justiça contra os torturadores e assassinos da ditadura. Nada será feito no sentido de efetivamente combater esses discursos e os milhares de casos de estupros que acontecem em nosso país, alentados pelo mesmo. É necessária uma punição efetiva a todos aqueles que incitam a violência contra as mulheres e defendem os crimes da ditadura militar, como o deputado Jair Bolsonaro.

Seguindo o exemplo dos trabalhadores da USP, com campanhas contra os casos de estupro na Faculdade de Medicina, e dos metroviários, que se posicionaram contra a agressão a um casal homossexual dentro do metrô, precisamos levantar uma forte campanha pela punição efetiva de todos os crimes da ditadura militar e contra todos os discursos de ódio levantados por esses setores reacionários.

A aliança entre a classe operária e todos os setores oprimidos e explorados por esse sistema capitalista é a única que pode dar uma solução efetiva para essa aberrante realidade do sistema capitalista.

Artigos relacionados: Gênero e Sexualidade









  • Não há comentários para este artigo