GREVE DA USP

Atividades e exemplo de democracia operária na greve da USP

30 Jul 2014   |   comentários

Democracia operária na prática: não defendemos os mensaleiros!

JPEG - 84 KB

Os trabalhadores da USP em ato unificado com movimentos sociais e outras entidades abriram um grande debate na vanguarda. A FNL, um racha do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, compunha o ato unificado e levantaram a bandeira pela libertação dos “presos políticos†José Genoíno, José Dirceu, Delúbio Soares, entre outros. Esta bandeira não era parte da pauta unificada votada em Assembléia dos Trabalhadores da USP e por isso exigimos que fosse retirada do ato, entretanto os militantes da FNL mantiveram. Por iniciativa do Movimento Nossa Classe que são parte do Comando de Greve, organizou-se uma assembleia na concentração do ato reunindo todos os trabalhadores da USP para discutir qual posição teríamos diante desta situação, uma vez que não defendemos os mensaleiros e corruptos dos partidos do governo e da burguesia. A pressão que a nossa assembleia instantânea causou levou a que a FNL abaixasse essa bandeira. A grande lição que os trabalhadores da USP deram é que a democracia operária deve ser feita na prática, com o poder de decisão na mão dos trabalhadores.

Grande ato na São Remo em defesa dos terceirizados.

JPEG - 102.3 KB

Trabalhadores da USP fazem passeata na São Remo contra os cortes e demissão de trabalhadores terceirizados num grande exemplo de unidade entre efetivos e terceirizados, exigindo também a efetivação de todos os terceirizados.

Debate sobre a questão negra impulsionado pelo SINTUSP

JPEG - 116.5 KB

Sede do Sindicato dos Trabalhadores da USP lotado com centenas de trabalhadores e trabalhadoras debatendo a questão negra e a classe trabalhadora no Brasil na atividade “Negro Drama†com exibição de documentários sobre a questão negra mas também dos últimos vídeos divulgados na imprensa como o assassinato de um jovem de 14 anos no Morro do Sumaré no Rio de Janeiro por policiais e a omissão de socorro a um homem negro que morreu agonizando frente a um Hospital privado. São mostrar concretas da situação dos negros em nosso país e portanto é fundamental organizar os trabalhadores pra lutar cotidianamente contra o racismo.

Artigos relacionados: São Paulo Capital









  • Não há comentários para este artigo