Movimento Operário

BANCARIOS - SP

Abaixo a tentativa de demitir o companheiro Messias!

11 Feb 2013   |   comentários

O ano de 2013 se iniciou na CAIXA com a confirmação de um golpe histórico àorganização dos trabalhadores que a empresa vinha anunciando desde a greve do ano passado: após um absurdo processo administrativo, repleto de irregularidades e contradições, a Superintendência de Osasco, base onde trabalha e milita o companheiro Messias, pretende demiti-lo por “justa causa†.

Em primeiro lugar, não podemos separar este ataque do contexto geral da crise capitalista, que em sua nova fase já comprometeu o crescimento de países como o Brasil, e que ameaça trazer seus efeitos mais nefastos para o país num período não muito distante, com toda a sorte de ataques às condições de vida e trabalho das massas, e que portanto “exige†da burguesia a tomada de medidas que paralisem e minem o poder de resistência dos trabalhadores e, em particular, que tentem criminalizar, desbaratar ou eliminar seus setores de vanguarda (vide os novos processos na USP, a continuidade dos assassinatos de lideranças dos sem terra, etc).

Em segundo lugar, num plano mais imediato, esse ataque busca facilitar a consolidação de um processo de mudanças na empresa que vem em curso desde que Dilma assumiu e, como parte das alianças do PT com o PMDB e demais partidos burgueses da base aliada, trocou a cúpula da empresa nomeando o presidente Jorge Hereda; processo este que agravou todos os problemas anteriores (que já vinham desde o governo Lula) e acrescentou outros novos, em particular uma aceleração do processo de superexploração do trabalho via casas Lotéricas, a espúria relação com os chamados “correspondentes bancários†(cujo papel crescente no funcionamento da empresa representa uma forma mal velada de “privatização a conta-gotas†), e a expulsão da população pobre das agências, para que estas se voltem exclusivamente aos clientes de maior poder aquisitivo.

O próprio processo contra Messias mostra que as principais “acusações†da empresa são justamente o papel de liderança que o companheiro vem exercendo há anos nas greves da categoria (com os consequentes episódios de enfrentamento com as chefias mais autoritárias e os fura-greves mais empedernidos), e suas denúncias diante de colegas e clientes contra o novo modelo que nega diretamente o atendimento àpopulação mais pobre.

A tentativa da empresa de demitir o companheiro, que é bancário a mais de 30 anos (desde 1976), dos quais 23 na CAIXA, e que representa sem dúvida uma referência combativa para toda a categoria, em particular cumprindo um papel central de liderança na região de Osasco, representa um ataque grotesco, que deve ser barrado através da unidade de todos os trabalhadores, em primeiro lugar da própria categoria, mas também com o apoio de toda a vanguarda operária e popular, e com a solidariedade da população trabalhadora em geral que constitui a clientela principal da Ag. B. Coutinho, onde Messias trabalha há muitos anos e onde é ainda hoje o delegado sindical eleito democraticamente pelos trabalhadores.

-> NÂO À PERSEGUIÇÃO AO COMPANHEIRO MESSIAS E A TODOS OS QUE LUTAM PELOS SEUS DIREITOS!

- > NÂO AOS ATAQUES CONTRA A LIVRE ORGANIZAÇÃO DOS TRABALHADORES!

-> PELA REVERSÃO IMEDIATA DA PUNIÇÃO E ARQUIVAMENTO DO PROCESSO ABSURDO!

Artigos relacionados: Movimento Operário , São Paulo Capital









  • Não há comentários para este artigo