Juventude

Unesp Rio Claro

ASSEMBLÉIA MASSIVA VOTA PARALISAÇÃO NA UNESP EM RIO CLARO

09 Nov 2011   |   comentários

Mais de 70 estudantes e trabalhadores foram feitos presos políticos na madrugada de terça na USP. Avança a truculência e violência policial na USP comandada por Rodas e com todo o apoio do governo, contra os lutadores e movimentos sociais que colocam em questão a universidade racista, privatista, machista, homofóbica e elitista, gestada sob uma estrutura de poder burocrática e cuja democracia vigora àburguesia. Não apenas as universidades, mas essa mesma polícia ocupa morros e favelas, reprimindo a classe trabalhadora num papel que passa longe de trazer mais segurança para todos.

Na Unesp de Rio Claro, foi conformado numa plenária que ocorreu na última terça um comitê "FORA PM", que junto de centros acadêmicos convocaram um ato/piquete na quarta de manhã e uma assembléia geral do campus para a noite. Nessa assembléia, que contou com cerca de 300 estudantes, foi deliberado repúdio àrepressão policial ocorrido na USP, com o eixo "Fora PM das universidades, das escolas, dos morros e das periferias". Além disso, votamos construir uma paralisação das aulas na quinta em apoio aos estudantes da USP em greve, com piquete e discussões e a ida de uma delegação de estudantes ao ato "FORA PM" em São Paulo, nesta quinta, às 14h com concentração no Largo São Francisco.

Gritamos alto:
Contra esse projeto de universidade que privatiza e exclui os jovens trabalhadores. Pelo fim do vestibular e por permanência que atenda àdemanda! Contra o trabalho precário e terceirizado, que haja contratação sem concurso!!!

FORA PM dos morros e das universidades! Nenhuma punição e repressão aos que lutam por uma universidade àserviço da classe trabalhadora.

Artigos relacionados: Juventude









  • Não há comentários para este artigo