Juventude

LUTA CONTRA O AUMENTO DAS PASSAGENS NO ABC

A juventude do ABC em luta contra o aumento das passagens

08 Feb 2013   |   comentários

Como todo início de ano, mais uma vez a população é surpreendida pelo aumento das passagens de ônibus. No ABC, o aumento foi de 14% a 20%, onde as passagens que eram entre R$ 2,30 e R$ 2,90 foram para R$ 3,20 e R$ 3,30, tendo assim um aumento maior do que a inflação e maior que o aumento do salário mínimo.

Temos que pagar caro por um transporte demorado e de má qualidade para ir trabalhar todos os dias, muitas vezes sendo necessário mais de um tipo de transporte para chegar ao destino. Além de os trabalhadores terem que pagar um preço que no final no mês irá pesar muito no bolso, eles também têm que pagar pelo transporte dos seus filhos, que àprocura de uma educação de qualidade muitas vezes vão estudar em outras cidades, e que apesar de pagar meia, não trabalham e não têm como arcar com esses custos.

No ABC houve várias manifestações, sendo a primeira dia 5 de janeiro em Mauá, com aproximadamente 800 pessoas. Foi organizada a principio pelo grupo “Politica Sim, Patifaria Não†, grupo esse ligado ao PT e ao empresariado petista da região. De uma maneira oportunista, esse grupo reivindicava que a empresa de transportes deveria ser a LEBLON, que apesar de prestar um serviço melhor que a atual empresa, não resolveria nenhum dos principais problemas do transporte público na região (por exemplo, sob a administração da Leblon a passagem continuaria custando o absurdo valor de R$ 3,30). Também por eles foi organizado o ato do dia 12, onde ficou claro para a juventude que participava do ato que eles não estavam ali lutando por um transporte público, gratuito e de qualidade para todos, mas sim para colocar outra empresa que os beneficiaria politica e economicamente, mantendo toda essa logica privada nefasta que fez o transporte publico chegar a situação precária que se encontra atualmente. Sendo assim, como alternativa a essa direção pelega e oportunista, a LER-QI e a Juventude às Ruas, junto com o PSTU, Espaço Socialista, outros grupos e independentes, impulsionou a criação de um comitê unificado onde qualquer organização ou ativista interessado poderia se somar. O Comitê Regional Unificado Contra os Aumentos das Passagens de Ônibus no ABC foi criado para organizar os atos da forma mais democrática possível e avançar na luta pelos interesses da população, além de organizar um calendário para os atos e panfletagens. Foram necessárias várias lutas internas para que o comitê avançasse a luta para além da revogação do aumento da passagem, lembrando que R$ 2,90 já era caro e que já havíamos lutado contra essa tarifa. Defendemos, passe livre já para estudantes e desempregados, estatização dos transportes públicos sem indenização sob controle dos trabalhadores e usuários, fim da função de cobrador para os motoristas, salário mínimo para funcionários com base no DIEESE e transporte público gratuito e de qualidade para todos.

Nos atos dos dias 12 e 18 de janeiro (Mauá e Santo André) houve repressão policial. Em Mauá, o ato àfrente do terminal de ônibus, onde foi severamente reprimido primeiro com spray de pimenta e depois com bombas e balas de borracha. Seguindo para a delegacia, pois havia três presos, houve repressão novamente. Em Santo André, um setor foi reprimido depois que alguns manifestantes tentaram pular a catraca. Seis pessoas foram presas. Isso mostrou o verdadeiro papel da policia, que é reprimir os estudantes e trabalhadores que lutam.

Em Taboão da Serra, o prefeito Fernando Fernandes revogou o aumento da passagem devido às manifestações. Mas não podemos esquecer que esse é só o começo da luta por um transporte para todos, e que não é na revogação do aumento que ela acaba. Queremos transporte público gratuito e de qualidade para todos!

Artigos relacionados: Juventude , ABC Paulista









  • Não há comentários para este artigo