Ditadura Militar

A ditadura de ontem é a repressão de hoje

09 Nov 2014   |   comentários

Intervenção final – Comissão da Verdade-UnB – Gdantas 10-10-14 [10 minutos]: - YouTube

Nas favelas, nas manifestações de rua, nos bairros pobres e também no Haiti a máquina repressiva e policial brasileira segue viva, expandida e atuante. Ontem, fulminava os Olavo Hanssen, os Vladimir Herzog, os ativistas do movimento estudantil, intelectual e operário. Eram os anos de chumbo. Hoje, Amarildos, trabalhadores pobres e pretos em sua maioria anônimos, tombam todos os dias sob as balas e a tortura das forças repressivas. As jornadas de junho e a própria Copa do Mundo revelaram o verdadeiro papel das forças policiais e também do exército.

Por isso e pela vigência dessa democracia dos ricos, praticamente restrita ao voto a cada quatro anos, é que aqueles que lutaram pela redemocratização sabemos que todo e qualquer avanço foi e continua sendo contraditório e sem garantias políticas.

Temos que promover o debate do tema desde a nossa perspectiva política, considerando que a regra geral da esquerda é não levar o debate até o fim.

Agora em outubro fomos depor na Comissão da Verdade da Universidade de Brasília. Fizemos nosso relato de época, como setentista, da atuação política no movimento estudantil e da luta contra a ditadura. Ao mesmo tempo, aproveitamos o palanque para a propaganda das nossas ideias como corrente política e programática.

Brevemente, divulgaremos na íntegra o vídeo deste depoimento, do debate que tratamos de promover nos marcos de uma comissão que já nasce castrada e adaptada àLei da Anistia.

Antecipamos um fragmento do debate, a intervenção final, já na amarração das ideias que foram desenvolvidas ao longo do mesmo. Chamamos todos a assistirem em breve a íntegra do debate, que disponibilizaremos no site Palavra operária.

Saudações trotskistas,
Gilson Dantas

Artigos relacionados: Brasília , Ditadura Militar









  • Não há comentários para este artigo