Internacional

CONFERÊNCIA DE IMPRENSA NO CONGRESSO

A Frente de Esquerda apresenta projeto de lei pelo salário e para proibir demissões

27 Feb 2014   |   comentários

Conferência de imprensa, hoje, da Frente de Esquerda e dos Trabalhadores no Congresso, na apresentação do projeto que defende que nenhum trabalhador receba menos do que o custo de uma cesta básica familiar e proíbe as suspensões e demissões por 24 meses, segundo informou hoje o deputado nacional, Nicolás Del Caño (PTS/FIT).

(PTS/FIT, 25) A Frente de Esquerda realizará uma conferência de imprensa nesta quinta-feira 27/2, às 16h na Sala III do segundo piso do Edifício Anexo do Congresso Nacional, para dar a conhecer um importante projeto de lei “de emergência†que defende que nenhum trabalhador receba menos do que o custo de uma cesta básica familiar e proíbe as suspensões e demissões por 24 meses, segundo informou hoje o deputado nacional, Nicolás Del Caño (PTS/FIT).

O projeto, que será apresentado por Del Cãno junto a seus pares Néstor Pitrola e Pablo López e os legisladores da província de Buenos Aires e da CABA, Christian Castillo e Marcelo Ramal, dispõe um aumento de emergência de $3.000 pesos para todos os assalariados, e estabelece um salário mínimo de $9.000 pesos. Ademais, para enfrentar a perda do poder aquisitivo pela inflação, o projeto estabelece que todos os salários se ajustarão mensalmente segundo a variação que registre o custo de vida. Da mesma forma, se estabelece como aposentadoria mínima o 82% do citado salário mínimo.

O projeto da FIT impulsionado por iniciativa de Del Caño e elaborado em comum com os três partidos integrantes da Frente de Esquerda, defende a proibição das suspensões e demissões pelo prazo de 24 meses e sustenta que a proibição se aplicará sobre todos os trabalhadores registrados, não registrados ou registrados irregularmente, seja contratado, bolsista ou monotributário, qualquer que seja a modalidade de sua forma contratual. Da mesma forma, coloca-se a imediata estatização de toda empresa que feche, pondo-a sob gestão dos próprios trabalhadores.

“O sentido deste projeto é por uma linha de defesa ao nível de vida das maiorias nacionais hoje atacada por uma inflação galopante, tarifazos, suspensões, demissões e o teto salarial que o governo nacional, os governadores e os empresários querem impor para cristalizar este roubo ao salário operário, enquanto as centrais sindicais nada fizeram para aproveitar este ajustazo,†adiantou o deputado nacional do PTS/FIT.

Por sua parte, o deputado da província de Buenos Aires, Christian Castillo, anunciou que este projeto vamos apresentar no Congresso Nacional e em todas as legislaturas onde está a Frente de Esquerda, Buenos Aires, Cidade de Buenos Aires, Córdoba, Santiago del Estero, Neuquén, Mendoza e Salta.†Castillo colocou que “cada crise econômica que houve na Argentina nos últimos 40 anos terminou com um saque ao nível de vida da única classe produtora, a classe trabalhadora, em favor de um punhado de grandes capitalistas. Outra vez se quer repetir o filme, e este projeto da Frente de Esquerda pretende ser uma ferramenta para que desta vez a crise seja paga pelos capitalistas. Sabemos que uma lei de emergência destas características encontrará a resistência não só dos legisladores oficialistas, mas também das bancadas que respondem aos interesses dos empresários e dos banqueiros, como a Frente Renovadora e o PRO. Na província de Santa Fé, governada pelo partido de Hermes Binner, o Estado provincial só respondeu com indiferença ante as demissões massivas de jovens trabalhadores na fábrica de eletrodomésticos Liliana SRL. Também se intensifica a luta contra as demissões em Kromberg e as fábricas de autopeças de Córdoba Valeo, Lieter e Liget, ocupadas por seus trabalhadores em protesto contra as demissões. É por isso que estamos pondo o projeto àconsideração de todas as organizações de trabalhadores†.

Artigos relacionados: Internacional









  • Não há comentários para este artigo