Juventude

Repressão histórica ao movimento estudantil

17 estudantes são expulsos da UNESP

31 Jan 2015   |   comentários

Ontem, 29 de janeiro de 2015, 17 estudantes da UNESP Araraquara foram expulsos, acusados por ocupar a diretoria do campus contra os duros cortes feitos na extensão e permanência estudantil no ano de 2014

Ontem, 29 de janeiro de 2015, 17 estudantes da UNESP Araraquara foram expulsos, acusados por ocupar a diretoria do campus contra os duros cortes feitos na extensão e permanência estudantil no ano de 2014, ocupação realizada a partir do anúncio da expulsão da moradia estudantil de 38 estudantes. Esses e centenas de outros estudantes, cansados de como o diretor Arnaldo Cortina e sua cúpula negligenciam as pautas estudantis, decidiram em assembleia pela ocupação da diretoria do campus. O anúncio das expulsões acontece em um período de esvaziamento do campus por conta do início das férias, feito nesse período para dificultar uma resposta organizada dos estudantes. É dessa forma que são tratadas as demandas legítimas dos estudantes: com negligência e repressão!
A repressão aos lutadores que foram para as ruas e fizeram fortes greves no último período é fruto da criminalização dos nossos métodos de luta! Durante anos, disseram aos trabalhadores e àjuventude que conseguiríamos nossas pautas através da política convencional , com reuniões fechadas com a diretoria, no parlamento, ou na participação nos órgãos colegiados da universidade, onde a representação estudantil é absolutamente pequena em comparação a da burocracia acadêmica da universidade. A cada dia fica mais claro que a universidade, com sua estrutura de poder antidemocrática (onde alunos e funcionários têm apenas 30% do poder de decisão!), não pode atender nossas demandas, uma vez que são seus próprios órgãos que implementam o projeto de privatização que impede o trabalhador pobre de entrar e se manter, o desmonte do tripé universitário (ensino-pesquisa-extensão) e a repressão aos lutadores que se põem contra esse projeto.

Chamamos os Centros Acadêmicos da UNESP (CAFF, CACEL, CAMT, CACEF, CAAP) Araraquara a dar todo apoio (político, jurídico e financeiro) aos estudantes expulsos, por entender que cada ataque a esses estudantes que se mobilizaram é um ataque àpermanência estudantil, ao ensino, àextensão, enfim, àuniversidade pública. Nós, da Juventude às Ruas, chamamos os CAs e outros coletivos e estudantes da universidade a construir uma assembleia para darmos uma resposta organizada a esse duro ataque.

Artigos relacionados: Juventude









  • Não há comentários para este artigo